AECambuí
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-2772
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» Comportamento.
» Comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista Serviço - SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Serviços Prestados - AECAMBUÍ
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


Revista O Empresário / Número 121 · Julho de 2008



Esta é uma pergunta simples, que deveria estar na ponta da língua de muitos candidatos a uma vaga de emprego, mas que, ao contrário disso, acaba por eliminá-los.

De acordo com a consultora de RH da Catho Online, Gláucia Santos, quando o selecionar faz esta pergunta, é chegado o momento de o profissional se vender. "Ele deve mostrar conhecimento e suas qualidades", afirmou.

Por que eu deveria contratá-lo? "Responda: porque já tenho experiência na área, formação suficiente para ocupá-la, sou criativo e posso ajudar com a vivência que possuo. Foque no conhecimento teórico e prático". Agora, quando for citar uma característica pessoal, a embase com exemplos, o que significa falar de experiências para comprová-la. Caso contrário, o discurso fica vazio.

E quando não há experiência?
No caso de um estagiário, por exemplo, fica difícil falar de experiências passadas, uma vez que esta pode ser a primeira oportunidade de emprego da vida do jovem profissional. Por isso, foque em seus conhecimentos e características típicos de um estudante.

Por que devo contratá-lo? "Diga: porque tenho criatividade e posso trazer coisas novas para a empresa; tenho interesse em aprender, adquirir conhecimento; e contribuir para a empresa", explicou Gláucia.

O que não falar
Sempre selecione suas características de acordo com o que a vaga precisa, para não se perder em seu discurso. "Precisa ser direto", ressaltou a consultora.

Questionada sobre o que uma pessoa não deve dizer, de maneira alguma, a consultora citou uma dificuldade financeira ou um problema pessoal.

Pergunta é um bom sinal
Quando faz este tipo de pergunta, Gláucia explicou que o selecionar tem como objetivo analisar como o profissional se vende, se enxerga e como coloca para os outros as suas qualidades. "Ele quer saber se a pessoa tem persuasão, como se qualifica e se tem desenvoltura". Se a pessoa se mostrar receosa, pode ser eliminada.

Isso porque, de acordo com a consultora, a pergunta, muitas vezes, é usada como critério de desempate e, por isso, o profissional deve saber qual o seu diferencial. "Se o selecionador faz a entrevista e vê que a pessoa não atingiu os requisitos, dificilmente esta pergunta será feita. Ela é xeque mate. Aparece para quem teve um bom desempenho. É um bom sinal", finalizou.
(exclusiva on line)
Administração & Política
» IOF Castiga empresários
» O fim do coeficiente eleitoral
» Cheiroso
» Bancos vão eliminar boletos de papel
Colaboradores
» Corrida da vida
» O poder e gloria
» Há professores e há educadores
» Ele sempre responde
Comportamento
» Tipos de comportamento
» Sem saída
» Você se ama?
» Que cuidados tomar ao comprar num brechó
Comunicação & Internet
» Você é um e-mala
» Um minuto para atender o telefone
» Ortografia sofre alteração
Empreendedorismo
» Como aumentar as vendas
» Insista, não desista
» Aprenda a surpreender o seu cliente
» Nunca cometa este erro
Finanças
» Como aplicar suas reservas
» BACEN tira dúvidas
Humor & Curiosidades
» Coisas que aprendi na vida
» Pesadelo
» A Nestlé e o Papa
Jurisprudência & Segurança
» Afixação de preços nas mercadorias e serviços
» Juros capitalizados
» Ficou mais fácil
» Aumenta a fiscalização em rodovias
» Música exige pagamento ao ECAD
» Uma sentença diferente
» Notificação extrajudicial pode mudar
Mercado de Trabalho & Educação
» Como administrar a raiva no trabalho
» Como progredir na empresa
» Por que devo contratá-lo?
» Meu primeiro dia de trabalho
Rapidinhas do Leôncio
» Notas de julho
AECambuí - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide