AECambuí
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-2772
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» Comportamento.
» Comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista Serviço - SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» O que é Boa Vista SCPC?
» Promoção - SEU ANO DA SORTE 2022
» Serviços Prestados - AECAMBUÍ
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 06/12/2021

Existem vários cursos, palestras, vídeos, livros e artigos que falam da importância que uma empresa deve dar para o atendimento ao cliente. A grande maioria desses canais também fala de quanto as empresas têm deixado as necessidades do cliente de lado e como isso afeta o desenvolvimento das organizações.
Assuntos como esses são pautas em diversos meios de comunicação, mas, ainda assim, são poucas as empresas que se preocupam de fato com o que o cliente procura, deseja e necessita. Neste artigo, você compreenderá melhor a importância de conhecer o cliente e conferirá algumas maneiras práticas para que isso ocorra. Boa leitura!

Quem é o seu cliente? A importância de conhecê-lo
Pensando nisso e nesse tipo de comportamento, nota-se que é extremamente negativo para a empresa deixar as necessidades do cliente para um segundo momento. O Ideal é que os vendedores de uma empresa consigam colocar em prioridade as necessidades do seu público, assim como os seus desejos e expectativas. Dessa forma, transmitirão uma ideia e uma mensagem de compromisso, respeito e cuidado com o seu cliente.
Não é preciso lembrar que o papel do vendedor vai muito além de vender, pois a responsabilidade desse profissional é de ajudar, servir e solucionar da melhor forma possível as necessidades do seu cliente.

Por isso, quando dizemos que ainda é grande o número de empresas que não se preocupam com seus clientes, e que maior ainda é o número de organizações que não mostram aos funcionários a importância que é agir da maneira que mencionamos, estamos alertando empresas e organizações do quanto isso pode degradar todo o restante do trabalho que tem sido feito.
Diante disso, se você é empreendedor, gestor ou líder de uma empresa, fique atento às necessidades do seu cliente. Para facilitar esse processo, selecionamos algumas dicas de como compreender e satisfazer todas essas necessidades. Confira-as a seguir.

1. Faça pesquisas com o seu público
Toda empresa tem uma base de clientes. Essa base fornece alguns dados estatísticos sobre o seu público, levando em consideração o gênero, a faixa etária, a classe socioeconômica, a localização geográfica, entre outros tópicos.
No entanto, faça uma pesquisa junto ao seu público que vá além dessas questões técnicas. Pergunte às pessoas quais são os seus sonhos, os seus medos, os seus valores. Questione-as sobre o seu estilo de vida: como se informam? Como tomam as suas decisões de compra? O que fazem no tempo livre? De que forma o seu produto/serviço tem mudado as vidas delas? Quais mudanças fariam nos produtos, se tivessem essa oportunidade?
Faça questionários, seja na própria loja, no website, por e-mail, por telefone ou num formulário no próprio site. Ofereça algum tipo de estímulo para que cada vez mais pessoas participem dessa pesquisa.

2. Construa uma persona
Depois de coletar esses dados mais profundos sobre o seu público, você deve construir um perfil demográfico e um perfil psicográfico. O perfil demográfico corresponde àqueles dados primários que você obtém com as estatísticas do seu público (idade, gênero, renda etc.). Já o perfil psicográfico corresponde a essa análise sobre o estilo de vida das pessoas, os seus valores, receios, sonhos, necessidades, rotinas e como o seu produto faz parte das suas rotinas.
A partir dessa união do perfil demográfico com o perfil psicográfico, será possível construir uma persona, que é um personagem semi-fictício, porém baseado em dados reais, sobre o seu perfil de cliente. Essa persona tem nome, idade, profissão, rotina e até mesmo fotografia, em alguns casos. Tê-la em mente é um grande auxílio na tomada de decisões empresariais estratégicas, como o desenvolvimento de produtos e a execução de campanhas publicitárias.

3. Crie o hábito de perguntar
Sempre que possível, faça perguntas que permitam a sua aproximação do cliente. Por meio dessas perguntas, será possível conhecer ainda mais as necessidades, os gostos e as expectativas do consumidor potencial que está na sua empresa. É interessante compreender que quanto mais você conhecer o seu cliente, mais assertiva e mais prazerosa será a sua experiência de venda.
Essas perguntas ao cliente devem ser feitas antes da venda, de modo que você possa oferecer-lhe as soluções mais adequadas, mas também depois da venda, para saber o seu nível de satisfação com o produto/serviço, os pontos positivos e os aspectos em que é possível melhorar.

4. Foque no que é principal
Na interação pessoal com o consumidor, comece a observar e a anotar os principais pontos que o seu cliente compartilhou com você, pois eles vão permitir que você construa um discurso de venda extremamente poderoso. Aliás, mais que isso, será possível elaborar um discurso fortemente alicerçado nas expressões que ele compartilhou com você.
Uma dica para focar no que é principal é anotar as informações que o cliente compartilhar ao longo do tempo, dado que essa é uma forma de gerenciar o processo de vendas. Se preferir, opte pelo auxílio de um software para realizar essa ação, já que há tecnologias que cruzam os desejos do cliente com as soluções disponíveis.

5. Capte informações relevantes e saiba usá-las
As pesquisas de mercado são importantes, mas esqueça aquela ideia de fazer uma pesquisa de opinião definindo notas zero a dez. Busque maneiras mais atrativas para realizar esse tipo de processo, como aquelas pesquisas em que o consumidor tem mais liberdade de expressar as suas expectativas e opiniões.
Depois, armazene esses dados e monte uma apresentação com as principais conclusões dessa pesquisa. Por fim, apresente esses resultados aos departamentos mais interessados neles. Esse conjunto de dados deverá ser interpretado no contexto da empresa, de modo que as ações institucionais possam satisfazer os clientes de forma cada vez melhor. De nada adianta a empresa ter um volume enorme de informações, mas não saber interpretá-las e utilizá-las.

6. Dê liberdade emocional ao seu cliente
Quando falamos em dar liberdade emocional ao cliente, estamos falando em deixar que ele mostre quais são seus desejos e o que ele sente quando fala sobre eles; o que ele espera quando realizar um sonho.
Acredite, as melhores vendas ocorrem quando o vendedor se conecta com o seu cliente a ponto de entender qual é o seu sonho. Quando isso acontece, fica muito mais simples obter o conhecimento necessário para que o vendedor assimile o sonho do cliente, conectando-o ao que o produto ou serviço da empresa consegue oferecer.

Assim, todo mundo ganha. O cliente fica completamente satisfeito com a sua conquista, a empresa ganha com a venda, e o vendedor obtém reconhecimento pelo trabalho feito.
Portanto, lembre-se sempre de se lembrar de nunca se esquecer de que os vendedores mais especiais e extraordinários são aqueles profissionais que sempre depositam as necessidades, desejos, expectativas e sonhos dos seus clientes acima dos seus. Utilize as dicas acima em seu dia a dia. Que elas tragam a você um sucesso inimaginável!

E você, querida pessoa, o que tem feito para compreender melhor o seu público? Este artigo foi relevante para o seu conhecimento? Deixe um comentário no espaço abaixo. Por fim, lembre-se de compartilhar este texto nas suas redes sociais. Leve estas informações a todos os seus amigos, colegas, familiares e a quem mais puder se beneficiar delas!

Por: IBC
AECambuí - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide