AECambuí
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-2772
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» Comportamento.
» Comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista Serviço - SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» O que é Boa Vista SCPC?
» Promoção - SEU ANO DA SORTE 2022
» Serviços Prestados - AECAMBUÍ
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 05/11/2021

O famoso “quem indica” segue presente no mercado, e o cuidado dos profissionais é necessário na hora de sugerir candidatos
A prática já conhecida do “quem indica” – o famoso QI – segue em alta no mercado brasileiro de trabalho, sendo que nos dias de hoje é, inclusive, incentivada pelas grandes empresas. Fornecendo bônus especiais para empregados que que possam indicar o próximo novo talento para suas corporações, empresas como IBM, Ernst & Young e Deloitte já contam com cerca de 30% de suas equipes atuais compostas por meio da prática do “QI”, segundo o jornal Folha de S. Paulo; mostrando que esse hábito não deve ser deixado de lado em nenhum tempo próximo.

Embora, mesmo nas empresas que incentivam o “quem indica” os processos seletivos não sejam muito diferentes – e sigam compostos por entrevistas presenciais, dinâmicas em grupo e uma série de testes – a prática ainda pode dar mais chances de sucesso para os indicados; já que a recomendação, geralmente, já leva em consideração que o perfil do candidato deve ser o ideal para a empresa específica.

Mesmo em alta no mercado, o hábito do QI pode não ser muito bem visto quando o indicado em questão é uma pessoa da família de quem indica – e mais prejudicial ainda quando o candidato sugerido não atende às qualificações e perfil necessários para a vaga. Com isso em mente, o jornal o Globo elaborou uma lista de questões a fazer para um possível candidato antes de indicá-lo a uma vaga na sua empresa.

Confira:
• Qual o histórico profissional da pessoa?
• Essa pessoa se encaixa nas missões e políticas da empresa?
• Como a contratação será vista pelos demais colegas?
• Esta pessoa levará a oportunidade a sério?
• Essa pessoa se encaixa no perfil da empresa?
• Qual a relação atual com quem se considera indicar? Trará situações negativas para o ambiente de trabalho?
• Seria agradável trabalhar com esta pessoa?
• Essa pessoa é capaz de se comunicar de maneira clara e efetiva com os demais?
• Essa pessoa está disposta a fazer o seu melhor no novo emprego?
• Uma indicação é, realmente, a melhor maneira de ajudar seu amigo a conseguir um novo emprego?

Por: Convenia

AECambuí - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide