AECambuí
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-2772
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» Comportamento.
» Comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista Serviço - SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Serviços Prestados - AECAMBUÍ
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 04/06/2021

A crise sanitária provocada pela pandemia que impôs o isolamento social para preservar a saúde dos brasileiros fez surgir um novo tipo de inadimplente. São cidadãos que perderam o emprego e ainda não conseguiram se recolocar no mercado de trabalho. Deixaram de pagar as dívidas, mas não são devedores contumazes. 

“São pessoas que não tinham o costume de ter dívidas em aberto e que, por conta da situação atual, entraram nesse problema”, afirma Fernando Modenezi, CEO da fintech Acordo Online, que tem como clientes credores e empresas de cobrança. Mensalmente, cerca 600 mil devedores são acessados por meio da plataforma na tentativa de renegociar as dívidas com pagamento atrasado.

Ele explica que o perfil desse novo tipo de inadimplente está ligado a empréstimos pessoais, que foram levantados para cobrir outras dívidas na hora do aperto ou a despesas com cartão para fazer frente a gastos do dia a dia. Segundo ele, as empresas de cobrança já estudam o perfil desse novo inadimplente na tentativa de dar um tratamento diferenciado.

Por: Estado de S. Paulo
AECambuí - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide