AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 08/10/2019

Muitas vezes contraímos dívidas e/ou deixamos de poupar por comprar itens por impulso, sem analisar antes se realmente aquele item é algo do nosso interesse e se vamos utilizá-lo.

O marketing publicitário faz com que muitas pessoas se endividem e acabem com as suas finanças comprando coisas por impulso emocional, sem levar em conta o lado racional. Através de consultas e de orientações financeiras realizadas, pude identificar itens que muitos compram sem precisar ou adquirem no momento errado.

Uma das grandes causas das dívidas familiares é a compra desenfreada de bens totalmente prescindíveis à sua vida. Você pode até questionar a definição de bem “imprescindível à vida”, mas o fato é que essas compras podem levar (e levam) as suas finanças ao caminho do endividamento.

O que fazer para evitar isso? Elaborar um orçamento doméstico, controlar as compras por impulso e sempre fazer anotações são algumas recomendações. Quais são elas? Seria interessante listá-las.

Além disso, uma dica de muita ajuda é analisar quais as compras que fez no passado e que hoje estão sem uso! Só então terá a noção de que o dinheiro gasto nessas aquisições poderia ter sido investido e render juros ou abater (e, quem sabe quitar) as suas dívidas!

Alguns exemplos de compras supérfluas que fazemos para a nossa casa:

1 – Equipamentos de ginástica

Este é um exemplo clássico! A esteira ou a bicicleta ergométrica adquiridas num momento de grande motivação em busca de uma vida mais saudável (e de alguns quilos a menos), geralmente, acaba se transformando num cabide de roupa. E que cabide caro, hein? Algumas pessoas ainda conseguem vender o equipamento usado, mas nunca recuperam todo o dinheiro gasto. Não desista de perseguir uma vida com mais saúde através de esportes e ginástica, mas não comprometa as suas finanças ao comprar equipamentos que acabarão ficando sem uso!

2 – Máquina de fazer pão

O exemplo aqui é mais específico, mas serve também para todos aqueles aparelhos domésticos que “produzem” algo: máquina de fazer sorvete, macarrão, iogurte, etc. Após comprá-lo, o aparelho é utilizado cerca de… um a dois meses. Depois disso, geralmente, fica encostado bem no fundo do armário.

3 – TV de última geração

Este é um exemplo um pouco diferente, já que uma TV em geral é bastante utilizada, mas será que usa todas aquelas funcionalidades tecnológicas pelas quais pagou (e caro)? Resoluções altíssimas, imagens 3D, som super sound surrounding. Nem todos os programas de TV foram sequer gravados para usar o total dessas maravilhas da tecnologia e, para ser bem sincero, mesmo se tivessem sido, talvez a diferença final para nós não seja muito grande.

O fato é que, na maioria das vezes, não vale a pena pagar pelas últimas inovações tecnológicas. Fique com algo “não tão moderno”, mas que lhe proporcione um bom entretenimento e economia!


4 – Máquina de lavar e secar louças

Um aparelho que muitas pessoas também compram e normalmente poucas utilizam. As máquinas de lavar e secar louças, além de usarem muita energia, não são muito úteis, principalmente, para quem não tem tempo. Isso porque no mesmo tempo que desperdiça fazendo a pré-lavagem da louça, retirando o resto de comida, já teria lavado e secado a louça, sem gastar energia.

5 – Secadora de roupa

Para quem tem pouco espaço no apartamento e usa muita roupa, até pode ser algo útil, mas, na maioria, principalmente para aqueles que têm um bom espaço no apartamento ou em casa, seria mais útil ter um bom varal/secador de roupas, que ajudaria a reduzir o consumo de energia e ainda ajudar o meio ambiente.

6 – Celulares de última geração

Comprados muitas vezes por impulso emocional, esses aparelhos são lançados com um preço absurdo e, depois de três meses, seu valor cai em até 40%. Contenha a emoção e espere para ter um novo celular.

Diante disso, antes de comprar, pare, repense seus desejos a longo prazo, e compre o que for realmente usar. Lembre-se daquele aparelho que quase não usa e que está no fundo do seu apartamento ou de casa. Pense em quanto teria no banco, se não tivesse jogado o dinheiro fora, uma vez que tal equipamento não é utilizado. Não estamos dizendo que não possa realizar um sonho, mas realize-o com consciência. E, você, quais foram as compras que não reverteram em grande utilidade? Então, compre com consciência, conquiste sua INDEPENDÊNCIA e CUIDE MELHOR DO SEU DINHEIRO.
(Carlos Virtuoso)

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide