AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 07/06/2019

A produtividade é um conceito que vem sendo buscado cada vez mais pelos profissionais que querem evoluir, crescer e oferecer resultados corporativos eficazes.

Ser produtivo também está atrelado a vida pessoal, queremos criar e produzir conteúdos inovadores, ser o diferencial em mundo de constantes mudanças e alta tecnologia. Associado a produtividade está à criatividade, juntas essas duas características transformam qualquer individuo excepcional.

Mais do que produtividade e criatividade, é essencial que as tarefas e atividades sejam realizadas de maneira eficiente, ou seja, otimizar processos para produzir de forma ágil e com menos recurso.

Essas “exigências” associadas às cobranças diárias e ao grande fluxo de informações nos sobrecarregam física e psicologicamente, podendo causar diversos problemas de saúde como ansiedade, depressão, síndrome de burnout, entre outras.

Queremos produzir mais e melhor constantemente e dispor de qualidade de vida, mas como encontrar tal equilíbrio em condições que aparentemente são tão opostas?

A produtividade nos remete ao sucesso, só quem é muito produtivo e trabalha incansavelmente pode atingi-lo, é o que sempre ouvimos.

Mas se apenas trabalharmos e não buscarmos equilíbrio entre o lado profissional e pessoal, não teremos autodomínio emocional.

Muitas vezes tentamos separar o lado profissional do pessoal, deixar os “problemas pessoais” em casa, mas é quase impossível, pois eles estão em nossa mente, nossos problemas assim como as alegrias e decepções fazem parte de nós, um depende do outro. O equilíbrio é algo individual, o que funciona pra um não vai funcionar para outro, por isso o bom senso é fundamental. Como diz o filosofo Leandro Karnal, “se você só trabalhar perderá a família, se não trabalhar perderá a família também”.

Precisamos encontrar maneiras de aliviar o estresse e nos desligar do trabalho, fazer algo, mesmo que simples, mas que ofereça algum tipo de prazer, como ler, tomar um café em boa companhia, assistir a um filme, passar mais tempo com a família, passeios ao ar livre, fazer uma caminhada ou qualquer outro tipo de atividade física.

Se conseguirmos encontrar o “nosso equilíbrio”, entre pessoal e profissional, a qualidade de vida será conseqüência. Para isso temos que abrir mão de algumas coisas, o que é dispensável e não te acrescenta?

Decidir abrir mão de algo não é fácil, mas é necessário. Sabemos o que nos faz mal e nos prejudica, qualquer tipo de excesso é prejudicial, até mesmo de água. Entramos em um ciclo vicioso de trabalhar mais, para ganhar mais, para comprar e consumir coisas que não precisamos. O menos pode ser mais, se tivermos menos coisas e objetos para cuidar, mais tempo livre teremos para fazer atividades que nos agradam.

As cobranças externas não nos assolam tanto como as internas, as nossas próprias exigências nos perturbam. O psiquiatra Augusto Cury afirma: “Quem se cobra demais é carrasco de si mesmo”. Por isso é essencial encontrar seu ponto de equilíbrio, esse critério possibilita autocontrole e conhecimento do que realmente importa na vida de cada um. Atingir o ponto de equilíbrio propicia produzir e trabalhar com mais qualidade, bem como compreender o próprio ritmo e necessidade profissional e pessoal.

“A vida é muito curta para que se perca tempo em uma existência medíocre” (Leandro Karnal).

(Aline Muriel)
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide