AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 23/08/2018

Com que frequência você se sente estressado, cansado fisicamente ou sem energia para enfrentar mais um dia de trabalho? Essas sensações, comuns em meio a um projeto ou período decisivo no emprego, podem significar problemas maiores quando aparecem com frequência.

É o caso, por exemplo, da Síndrome de Burnout.

A síndrome acomete 30% dos trabalhadores brasileiros e é caracterizada por sintomas como "fadiga, cansaço constante, distúrbios do sono, dores musculares e de cabeça, irritabilidade, alterações de humor e de memória, dificuldade de concentração, falta de apetite, depressão e perda de iniciativa", segundo o Hospital Albert Einstein.

Embora seja relacionada ao estresse profissional, seu quadro afeta também aspectos físicos e emocionais da pessoa.

Em um artigo publicado na Inc., a consultora Laura Garnett aponta alguns sinais discretos que podem indicar que é preciso desacelerar e repensar a rotina pessoal e de trabalho. Quem está se sentindo dessa forma deve considerar procurar a ajuda de um profissional.

1. Acordar no meio da noite com a mente ou o coração acelerado

Se acordar em pânico durante a noite se torna hábito, é hora de desacelerar, segundo a consultora. Considere delegar tarefas para outros colegas, prolongar prazos ou diminuir o número de reuniões. Fora do trabalho, pense em como você pode diminuir o estresse e dormir mais e melhor.

2. Estar sempre em modo reativo

Pessoas reativas costumam agir de forma mais instintiva do que racional. Estar nesse estado, segundo a autora, é um sinal de que se está falhando em priorizar as coisas. Vale a pena refletir melhor antes de dizer “sim” para as coisas e dizer “não” com mais frequência.

A partir disso, adote uma postura proativa sobre o que você puder antecipar – inclusive na hora de estabelecer pausas e descansos na sua agenda.

3. Preocupar-se constantemente com o futuro

Quem se preocupa demais com o futuro acaba perdendo a chance de viver o presente. Além de tirar o foco das tarefas atuais, isso também gera um grande gasto de energia. Segundo a autora, trazer práticas de meditação e mindfulness para o dia a dia pode ajudar a focar mais no presente e se preocupar menos com o que está além do alcance.

4. Estar frequentemente irritável

Ficar irritado com pequenas coisas ou adotar uma postura exageradamente crítica ao próprio desempenho ou dos colegas pode ser um sinal de que um burnout está próximo, segundo a consultora. Ter paciência e exercitar a atenção e a produtividade podem ajudar a seguir o caminho contrário.

5. Não ter mais de 5 horas de sono durante semanas

Não ter boas noites de sono é um sinal claro de risco – e uma das consequências de estar ansioso e possivelmente acordando assustado no meio da noite. Por isso, segundo a autora, é preciso reavaliar as tarefas e encontrar uma forma de descansar de verdade.

6. Esquecer como é se sentir alegre

Se você trabalhou duro para atingir suas metas e realizar seus projetos, mas isso não te trouxe nenhum sentimento de felicidade, é preciso repensar as coisas. Embora não seja sempre divertido, explica a autora, o trabalho deve trazer sentimentos de alegria. Se isso não ocorre, descubra o que pode ser feito para que isso mude.
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide