AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Jurisprudência



Publicado em: 09/03/2017

Banco Central autorizou nesta quinta-feira (9) a BM&FBovespa, a Cetip e o Serasa a criarem um sistema para registrar operações de crédito que tenham imóveis urbanos e veículos como garantia.

Com essa decisão do BC, a partir do dia 31 de outubro, os bancos terão que registrar em um dos três sistemas todos os dados de imóveis e veículos dados como garantia de empréstimos e financiamentos.

Esses dados vão incluir, por exemplo, avaliação do imóvel, nome do comprador, nome do vendedor e valor do financiamento.

A criação do sistema foi autorizado em 2012 por uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN).

A medida

O principal objetivo da medida, informou o Banco Central, é aumentar o monitoramento da autoridade monetária sobre o sistema de crédito.

De acordo com o chefe do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos do BC, Flávio Túlio Vilela, será possível, com essas novas informações, identificar se algum banco fez um financiamento que não é proporcional ao tamanho do imóvel ou veículo dado como garantia.

Ao longo prazo, explicou, a medida tornará o sistema de crédito mais sólido e levará à redução dos custos desses empréstimos.

"Ao longo do tempo, esse sistema reduz o risco e aumenta a segurança do sistema. Ao longo do tempo, isso reduz os custos", afirmou.

Vilela explicou, ainda, que os dados só estarão disponíveis para o Banco Central e um banco não terá informação sobre as garantias dadas a outros bancos.

O registro dessas garantias será cobrado, pelas empresas, dos bancos, mas o diretor de regulação do Banco Central, Otávio Damaso, não acredita que esse custo vai gerar custo extra para o consumidor ou aumentar juros cobrados nessas operações.

"Pelo contrário, ao longo do tempo isso gera mais segurança e reduz custos", disse.



notícias da mídia

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide