AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Comportamento



Publicado em: 31/07/2015

Desligar-se do trabalho é uma decisão muito importante na vida e não deve ser tomada de forma precipitada. Antes de qualquer coisa, deve-se fazer uma auto avaliação, perguntando-se, por exemplo, se fez tudo o que podia para melhorar ou se adaptar ao atual trabalho e se está perdendo ou ganhando com esta decisão. “É preciso avaliar a realidade e as suas expectativas com precisão, pois a maior parte das pessoas quer procurar um emprego dos sonhos. Entretanto, muitas vezes, não têm informações a respeito de si mesmas”, afirma a coach Bibianna Teodori.

Para ajudar nesse processo de tomadas de decisões, confira 5 passos para pedir demissão sem fechar portas:

1. Tenha uma decisão concreta

Ao contrário do que se pensa, o momento de pedir demissão é tão importante quanto o de admissão. “A forma como você sai de uma empresa é a forma como você será lembrado e as recomendações que receberá ou não dependem desse momento. Além disso, nunca se sabe quando uma oportunidade de voltar para a empresa numa posição melhor surgirá”, diz a especialista. O processo de coaching pode ser um grande aliado neste momento, para realinhar os valores, descobrir quais são as áreas que precisam ser trabalhadas, trazer mais resultados e, assim, definir novos objetivos.

2. Escolha o momento certo para contar

Escolher o momento ideal para anunciar a decisão é o mais sensato a se fazer. Nesta hora, Bibianna aconselha ser claro e direto. “Fale com seu chefe sobre a nova proposta, quais são os pontos que o influenciaram e levaram a fazer essa escolha. Desta conversa, pode ser feita uma contraproposta por parte dele, como aumento de salário, promoção, novos projetos", explica a coach. Entretanto, Bibianna alerta que nos casos em que a empresa reluta para o pedido de demisão, o mais sensato é que a resposta às propostas não seja dada de imediato.

Além disso, é importante que a primeira pessoa a saber da sua decisão seja o seu chefe. Para Bibianna, este é um grande sinal de respeito e profissionalismo. “Quando se conta aos colegas antes do chefe, pode-se tornar o ambiente constrangedor, caso o seu superior descubra antes de você informá-lo”, orienta. A ação evitará falatórios nos corredores com os colegas e também que a notícia caia nos ouvidos do chefe antes de ele ser avisado, algo que pode “queimar” sua reputação no mercado.


3. Como deixar as portas abertas

Na hora de conversar com o chefe, seja direto e não use o momento para se queixar. Bibianna recomenda honestidade e expor que não está saindo por causa da empresa, mas porque avaliou a própria carreira este é o melhor a fazer. “É importante reconhecer os resultados que a empresa lhe deu e agradecer pelos aprendizados, pois esta é uma prova de maturidade e pode deixar uma porta aberta”, sinaliza.

Este é o momento ideal para ajustar como será feito o desligamento e não deixar tarefas incompletas para o seu substituto. “Levante suas responsabilidades e os projetos que estão sob o seu comando, diga que tudo será entregue nos prazos estabelecidos e passe para o seu substituto”, destaca. Ofereça ainda disponibilidade para treinar outra pessoa e passar o seu trabalho. “A relação de confiança é construída com muito trabalho, portanto, continue mostrando profissionalismo”, afirma a coach.

4. Oficializar

Depois da conversa com o chefe, o próximo passo é escrever uma carta com os termos de saída da empresa. “Faça uma carta com tom simpático e deixe claro a intenção de se desligar da empresa, os motivos, a disponibilidade de ajudar durante o período de transição e, claro, agradeça", explica. Com a saída amigável, as duas partes estarão cientes das condições, o que evitará qualquer tipo de confusão. Caso o chefe não entenda os motivos de seu desligamento e reaja mal, o indicado é tratar o assunto diretamente com o setor de Recursos Humanos.

Por último, e não menos importante, é avisar seus colegas sobre a saída. “Não deixe que eles descubram pelos outros. Logo após conversar com o seu chefe, avise todos ao seu redor. Isso é importante para que você seja lembrado como uma pessoa com quem valeu a pena trabalhar”, destaca.



notícias da mídia Notícias pesquisadas em jornais e sites.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide