AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Comportamento



Publicado em: 11/12/2017

Para muitos, o período de férias já começou. Para outros, os dias de descanso estão por vir e, com eles, as esperadas viagens. Aqueles que têm nos planos passar longos períodos em carros, ônibus ou aviões devem ficar atentos aos riscos de permanecerem sentados e em uma mesma posição.

Nesse cenário, um problema que pode surgir é a Trombose Venosa Profunda (TVP). Causada por um coágulo sanguíneo que bloqueia a circulação, a doença tem como fator desencadeante o espessamento do sangue, que amplia a possibilidade de entupimento de veias e artérias.

Com as pernas para baixo e estáticas, posição comum nas viagens, a circulação venosa é prejudicada, uma desvantagem diante da TVP que, em 90% dos casos, ocorre nos membros inferiores.

Conforme Carlos Eduardo Jorge, diretor da AngioGold Angiologia Estética e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, a panturrilha – conhecida como batata da perna – bombeia o sangue até os pés e ele retorna pelas veias que ficam na perna.

“No entanto, o problema não se restringe às pernas. O sangue que engrossa lá pode bloquear a circulação no pulmão, por exemplo, o que causa uma embolia”, explica o angiologista.

A panturrilha – conhecida como batata da perna – funciona como um “segundo coração”. O coração bombeia o sangue até os pés, e ele retorna pelas veias que ficam na perna

Dicas

Dentre os principais sintomas da trombose estão dores nas panturrilhas, inchaço nas pernas (sempre observando se há diferença entre uma e outra), vermelhidão e febre no local.

De acordo com o especialista, estes são sinais que necessitam atenção, uma vez que a trombose é uma doença silenciosa e a embolia pulmonar pode ser fatal.

Para quem vai viajar de avião nesse período de férias ou em qualquer momento que exija um tempo maior dentro da aeronave, Carlos Eduardo Jorge afirma que cuidados devem ser tomados.

“Eles começam antes do embarque. Procure usar uma meia de compressão, utilize roupas mais largas e calçados confortáveis”, diz o angiologista.
Movimentar as pernas ao longo do trajeto também é fundamental para ativar a circulação sanguínea e prevenir a formação de coágulos.

“Se estiver no avião, levante-se e ande um pouco, mesmo que não precise ir ao banheiro. No ônibus, tente descer em todas as paradas”, orienta o médico.

Beber bastante água, evitar o consumo de álcool durante a viagem e também a ingestão de calmantes são outras dicas importantes destacadas pelo especialista, que lembra aos tabagistas suspenderem o fumo neste período de locomoção.

Devem procurar um médico aqueles pacientes com fatores de risco para trombose. São eles: obesidade, uso de anticoncepcionais, sedentarismo, idade acima de 40 anos, gestação, dentre outros.


notícias da mídia Notícias pesquisadas em jornais e sites.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide