AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Comportamento



Publicado em: 01/11/2016

A partir desta terça-feira (1º), as multas de trânsito vão ficar mais pesadas.

Um, dois celulares ao volante. Um outro motorista ainda tenta se explicar. “Parei no semáforo, estava vendo só uma mensagenzinha. Mas eu não uso telefone no trânsito, não”, diz o dentista Claudio Andrade.

A partir de terça, nem essa desculpa cola mais. Falar ao celular já é proibido, mas agora, segurar ou manusear o telefone já será uma infração gravíssima. Por isso, a multa vai ser reajustada em 244% e sobe para R$ 293,47.

“Deveria ser até mais caro. Eu acho que é uma irresponsabilidade porque não tem como você dirigir passando mensagem em celular. Eu acho um perigo”, afirma a aposentada Zélia Costa Figueiredo.

Outra infração muito comum é estacionar o carro em vagas reservadas para idosos ou deficientes. Num local, por exemplo, são duas vagas para idosos. O motorista de um carro tem a autorização, mas o do outro não deixou nada no painel que indique que ele pode estacionar ali. Uma infração grave que passa também a ser gravíssima.

E o motorista que for flagrado dirigindo alcoolizado ou se recusar a fazer o teste do bafômetro vai pagar um preço alto, como um rapaz que, segundo a PM, provocou um acidente no centro de Brasília. O motorista assim será multado por infração gravíssima multiplicada por 10: quase R$ 3 mil.

Nas estradas, ultrapassagem perigosa como pelo acostamento também será combatida no bolso do motorista com mais rigor: é multa de infração gravíssima multiplicada por cinco. Total: R$ 1,4 mil.

O Departamento Nacional de Trânsito afirma que a intenção dos reajustes não é aumentar a arrecadação.

“Respeitar as regras de trânsito é uma questão de respeitar o próximo. É uma questão de cidadania. Quando o indivíduo não respeita por opção própria, as multas mais caras vêm para forçá-lo”, diz Francisco Garonce, coordenador de qualificação do Denatran.


notícias da mídia Notícias pesquisadas em jornais e sites.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide