AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Comportamento



Publicado em: 11/03/2016

Relacionamento não é como uma receita de bolo, ou seja, cada casal deve encontrar a melhor forma de conviver em harmonia. De qualquer forma, algumas dicas podem ser preciosas para manter a paz a dois. Após quatro décadas de estudo, pesquisadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, conseguiram identificar quatro atitudes tóxicas capazes de atrapalhar a união. Felizmente, eles também apontaram quatro “antídotos” que podem salvar namoros e casamentos em crise. As informações são da BBC Brasil.

O pesquisador John Gottman e sua equipe acompanham mais de 3.000 casais que eram pacientes do “Laboratório do Amor”, onde foram realizadas experimentos científicos para tentar entender o funcionamento dos relacionamentos. Os pesquisadores investigaram comportamentos e atitudes.

De acordo com as pesquisas, as atitudes venenosas que podem destruir um relacionamento são: crítica, desprezo, autoproteção e silêncio.

O primeiro sinal de fracasso de um relacionamento é o excesso de críticas, já que o parceiro sente que sua personalidade ou natureza estão sendo atacadas. O desprezo, segundo Gottman, é o mais forte presságio de ruína, pois geralmente a atitude se alimenta de pensamentos negativos – guardados por muito tempo – a respeito do companheiro.

Embora seja a reação mais comum ao se sentir atacado, estar sempre na defensiva é uma forma de tentar culpar o outro. Já o silêncio é a última etapa utilizada pelo parceiro ao perceber que não consegue lidar com os três sinais anteriores. É como dar as costas ou fingir estar ocupado na tentativa de evitar o confronto. Apesar de demonstrar indiferença, o fechamento dos canais de comunicação aumenta o ritmo cardíaco para mais de cem batimentos por minuto – o que causa uma sobrecarga no organismo.

Lado bom. Reconhecendo o lado ruim nos relacionamentos, os pesquisadores encontraram o lado positivo. Para superar os “venenos”, a primeira atitude é demonstrar a insatisfação sem culpar o outro. Em vez de falar “você sempre fala de você mesmo”, o pesquisador indica mudar a abordagem: “Estou me sentindo ignorado. Poderíamos falar sobre como foi o meu dia?”. Outra dica é demonstrar estima e afeto pelo parceiro, concentrando-se nas características positivas.

Para que o relacionamento funcione, também é preciso assumir a responsabilidade, mesmo em situações de discordância. Por fim, é preciso ter calma. Gottman indica esperar 20 minutos após a raiva antes de iniciar uma discussão. Esse tempo ajudar a reduzir seu ritmo cardíaco.


notícias da mídia Notícias pesquisadas em jornais e sites.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide