AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
comunicação



Publicado em: 23/08/2018

Parece ser tão simples se comunicar com o outro, não é mesmo? Basta falar e ouvir, não?

Não! Em artigos anteriores explicamos sobre a importância de transmitir ideias de forma clara, seja ao telefone ou pessoalmente. Na realidade, quando começamos a praticar a comunicação de forma clara e coerente este comportamento se torna automático e com o tempo fluir de forma muito natural.

Portanto, é necessário compreender quais são os tipos de barreiras que impedem que nossa comunicação flua adequadamente.

Tipos de Barreiras:

1. Limitação da capacidade do interlocutor - As palavras fogem, deu aquele branco, as ideias são claras mas a verbalização das mesmas nem tanto.

2. Limitação da capacidade do receptor - Não compreende ou desconhece o significado das palavras ditas na conversa, tem dificuldade para interpretar o que foi dito, desconhece termos do vocabulário do interlocutor.

3. Distração - Quando é difícil manter o foco na mensagem.

4. Presunção, arrogância - Quando o comportamento influencia negativamente o diálogo.

5. Falta de clareza - Quando falta coesão e coerência naquilo que é dito durante a conversa.

6. Representação mental - Cada um vai representar liberdade, por exemplo, de uma forma diferente, a partir do que aprendeu durante a vida e de seus conceitos sobre o que é liberdade. O perigo é impor à sua maneira de pensar sem levar em conta a vivencia do outro.

7. Não conseguir transmitir credibilidade - As lacunas na fala, o tempo e espaço entre aquilo que foi dito, a inconsistência... são itens que levam a falta de credibilidade.

8. Distância física - São inúmeros os fatores que contribuem para uma boa comunicação, entretanto sabemos que gestos e atitudes durante a fala podem ser determinantes. Portanto, a melhor forma de se comunicar com outro indivíduo ainda é presencial, possibilitando uma comunicação “completa” facilitando o ouvir, o falar, o sentir e o observar.

9. Se comunicar de forma ofensiva - Agredimos sem perceber, isso é fato, por isso mesmo que é tão importante praticar a CNV (comunicação não violenta).

Os nove itens acima nos ajudam a identificar falhas e consequentemente minimizar as barreiras comunicativas, uma vez que novos comportamentos sejam adotados.

Então, abaixo segue algumas dicas:

Use uma linguagem apropriada e direta; Forneça informações claras e completas; Utilize canais múltiplos para estimular os vários sentidos do receptor (visão, audição, etc.) Prefira a comunicação presencial ou face a face. Lembre-se os políticos, em época de eleição, falam da campanha corpo a corpo. Por fim o mais importante – Ouvir com empatia.

Coloque-se na posição ou situação da outra pessoa, num esforço de entendê-la.

(Débora Martins)


notícias da mídia Notícias veiculadas na mídia impressa

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide