AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Finanças ao seu alcance



Publicado em: 11/11/2015

O aumento da expectativa de vida do brasileiro exige que a reserva financeira para a aposentadoria seja reforçada, já que será necessário ter renda por mais tempo durante o período de inatividade.

Para especialistas da Icatu Seguros, seguradora especializada em previdência, o valor mínimo que deve ser economizado para a aposentadoria é de 10% da renda mensal.

O porcentual levou como base diversos cálculos feitos pela seguradora, considerando trabalhadores em diversas faixas de renda, mas serve apenas como um indicativo sobre o valor médio que deve ser poupado. Se os investimentos para a aposentadoria começarem em uma idade avançada, o percentual pode ser bem maior.

A despeito dessa recomendação, uma pesquisa feita pela seguradora com cerca de 400 clientes em todo o Brasil mostra que apenas 17% dos brasileiros aplicam 10% da renda no plano de previdência.

Apesar de a maioria dos entrevistados desejar se aposentar aos 55 anos, 37% informaram que só destinam até 3% da renda mensal ao plano de previdência privada, enquanto 22% investem até 6% da renda no plano.

O problema, diz Aura Rebelo, diretora de marketing e canais da seguradora, é que muitos acreditam que mesmo investindo apenas 3% ou 6% da renda na previdência, será possível conquistar o objetivo de se aposentar cedo. “Os recursos não são suficientes. A conta não fecha”.

Resgate do dinheiro

Quando perguntados se resgatariam o dinheiro investido para a aposentadoria para cumprir um objetivo de curto prazo, como uma viagem de férias, 48% dos entrevistados disseram que sim.

Segundo Aura, em alguns casos, o plano de previdência até pode ser utilizado para objetivos de médio prazo, como para pagamento da faculdade dos filhos, mas em sua opinião o número de pessoas que utilizariam o valor aplicado no investimento para planos de curto prazo é surpreendente.

Nos planos de previdência, a formas de tributação mais comum é a regressiva. Nessa forma de tributação, as alíquotas de imposto que incidem sobre o resgate dos valores aplicados diminuem com o passar do tempo. Ou seja, quem resgatar o dinheiro em prazos mais curtos irá pagar uma alíquota maior do imposto e, consequentemente, terá um prejuízo maior.

Ou seja, não compensa colocar recursos no plano de previdência para sacá-los no curto prazo. É mais indicado ter uma reserva financeira de emergência que pode ser resgatada a qualquer momento, sem a incidência de impostos.

Objetivos na aposentadoria

Apenas 17% dos entrevistados pela Icatu querem continuar trabalhando durante a aposentadoria, enquanto 46% querem passar mais tempo com a família e 36% pretendem viajar.

Por conta do aumento da longevidade e necessidade de poupar mais para o período de inatividade, Aura, da Icatu, recomenda aos trabalhadores que cogitem trabalhar por mais tempo para que seja possível, além de manter o padrão de vida durante a inatividade do mercado de trabalho, ainda realizar metas, como viajar mais. “As pessoas precisam adotar um comportamento condizente com suas expectativas, para não se frustrarem no futuro”, alerta.


mídia notícias da mídia

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide