AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 12/09/2015

Quem passa muito tempo assistindo televisão tem maior risco de sofrer uma embolia pulmonar, segundo estudo realizado por pesquisadores em saúde pública do Departamento de Medicina Social na Universidade de Osaka, no Japão.

O estudo incluiu 86.024 pessoas, dos quais 36.007 homens e 50.017 mulheres, com idades entre 40 e 79 anos. Eles responderam a um questionário sobre seus hábitos com pergunta sobre o tempo médio diário que passavam em frente à TV. Os questionários começaram a ser respondidos entre 1988 e 1990 e se prolongaram até 2009, com um acompanhamento médio de cada pessoa pelo período de 18, 4 anos. As mortes por embolia pulmonar foram identificadas a partir dos atestados de óbito. Durante o período de acompanhamento ocorreram 59 mortes por embolia pulmonar.

Os pesquisadores descobriram que aqueles que assistiram TV por mais de cinco horas a cada dia tiveram o dobro do risco de sofrer uma embolia pulmonar fatal quando comparado com aqueles que assistiram a uma média de menos de duas horas e meia por dia.

O tempo à frente da televisão foi dividido em três grupos: menos de 2,5 horas, 2,5 a 4,9 horas e cinco ou mais horas por dia. O risco de morte por embolia pulmonar, de acordo com cada período, foi calculado após o ajuste para idade no início do estudo, sexo, história de hipertensão, história de diabetes, tabagismo, índice de massa corporal e hábitos de atividades físicas, como caminhadas e prática de esportes.

O trabalho japonês foi apresentado durante Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, entidade que representa mais de 90 000 profissionais de cardiologia de todo o mundo, do qual participei do dia 29 de agosto ao dia 2 de setembro, em Londres. Esse é considerado o mais importante encontro de profissionais especializados em cardiologia do mundo.

Como lembrou o pesquisador Toru Shirakawa, responsável pela apresentação do trabalho, a associação entre a postura sentada prolongada e embolia pulmonar foi relatada pela primeira vez entre os usuários dos abrigos antiaéreos em Londres durante a Segunda Guerra Mundial. Assim como hoje em dia a doença acomete com frequência viajantes de aviões em longos trajetos, chegando a ser conhecida como “síndrome da classe econômica”.

A embolia pulmonar, que pode ser fatal, é causada pela obstrução das artérias pulmonares por coágulos sanguíneos, geralmente formados nos vasos das pernas. Entre os fatores de risco estão o câncer, uso de contraceptivos orais e repouso prolongado ou sentado, como no caso das TVs. Os sintomas são dores no peito e dificuldades para respirar.

Segundo o pesquisador, a prevenção é a mesma que fazemos para quem é submetido a longo tempo em viagem. É fundamental evitar a imobilidade dos pés enquanto se assiste televisão por longo tempo. O recomendado é que se faça pausas, levante-se, caminhe e beba água, para evitar a desidratação.

O alerta está feito. Agora cabe a cada um se prevenir, afinal, por melhores que sejam os programas que as TVs transmitem, há vida fora da telinha. Basta olharmos ao redor e aproveitarmos.

(Flávio Cure Palheiro)


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide