AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 10/09/2015

Se você é como Jack Nicholson em Melhor é Impossível e, quando se põe a pensar, tem vontade de levar os próprios talheres nos restaurantes, leia estes fatos inoportunos para hipocondríacos (e os esqueça depois). Cuidado com...

- Os celulares. Acumulam bactérias comuns na boca, na pele e nas fezes. Um telefone tem 18 vezes mais bactérias do que o vaso sanitário, segundo um estudo da Universidade Stanford, e de acordo com outra pesquisa, da Universidade Queen Mary, de Londres, um de cada seis aparelhos está contaminado por bactérias fecais.

- O gelo dos restaurantes. Uma pesquisa do Daily Mail em 2013 concluiu que seis de cada dez restaurantes de redes muito populares tinham níveis de bactéria no gelo mais altos do que em amostras da água da privada. É de arrepiar, mas os resultados das amostras não representam “um perigo imediato” para a saúde. Em casa se recomenda limpar e desinfetar os recipientes de gelo cada vez que forem usados.

- A escova de dentes. Germes, fungos e vírus habitam suas cerdas e ali se alojam porque na boca, segundo este artigo da Muy Interesante, há mais micro-organismos que em qualquer outra parte do corpo. Bom, isso e mais o fato de que poderiam chegar até a sua escova de dentes gotas minúsculas ao dar a descarga na privada ou lavar as mãos.

- Os panos da cozinha e esponjas. Suas condições de umidade os tornam muito acolhedores aos micro-organismos. Diz-se que a coisa mais suja da casa é justamente a esponja da cozinha. Limpá-la com frequência ou utilizar um sistema de rotação com duas esponjas (tendo sempre à mão uma limpa e seca) são alguns dos conselhos habituais. Outros: secá-la no micro-ondas ou no lava-louças em um ciclo de secagem.

- A tábua de cortar. Acumula 200 vezes mais bactérias fecais que um assento de privada. Depois de cada uso, deveria ser colocada no lava-louças ou ser limpar e desinfetada com água quente. .

- Os pratos e os brinquedos dos animais de estimação. Recomenda-se lavá-los uma vez ao dia porque, segundo uma análise da Fundação Nacional de Saneamento (EUA), estão entre os 10 lugares/coisas mais sujos da casa. Para limpá-los, esse órgão recomenda lavá-los todos os dias, se possível com uma gotinha de água sanitária. É preciso lavar as mãos depois de brincar com os animais, especialmente antes de comer.

-Máscara de cílios. Sua vida útil é de três meses, depois de abertas. Acumulam bactérias que causam conjuntivite e terçol.

- Coisas que todas as pessoas tocam. Os carrinhos de compras, segundo a Universidade do Arizona, podem estar mais sujos que um banheiro público. Também podem estar mais sujos os botões de um caixa automático ou a maçaneta de uma porta. Mais coisas cheias de germes: o controle remoto e o menu do restaurante.

- A roupa nova. Nova não significa limpa. Além de ter passado por provadores e mãos, acumulam bactérias. Daí que se aconselha lavá-las antes de estreá-las.

- O colchão. Passar bem o aspirador no colchão, usar uma coberta de colchão e lavar a roupa de cama a 55 graus centígrados, além de ter cuidado com os animas que sobem na cama, ajudam a lutar contra os ácaros. E no travesseiro também há.

- As mãos. Lavar as mãos pode ser uma das coisas que você continua fazendo mal a vida toda: é uma tarefa que deve levar pelo menos 15 segundos. Se for possível, utilizar uma toalha de papel para fechar a torneira.

- E um conselho extra: como escolher o banheiro público mais limpo. Costuma ser o mais próximo da porta, precisamente porque todo mundo acredita que é o mais sujo. Forrar com papel higiênico o assento de uma privada pública não afasta os germes. E se estivéssemos em um festival e houvesse 100 banheiros, deveríamos evitar os primeiros 37 (segundo esta análise).


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide