AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 23/05/2020

Existe muita conexão, sim, entre a mente e o corpo, dizem especialistas. É por isso que conhecemos quem desconte a ansiedade na comida ou tente aliviar o estresse aumentando a ingestão de bebidas alcoólicas. Por outro lado, o que comemos também pode ter impacto na saúde mental. Quer um exemplo? Consumir verduras e legumes para garantir ao organismo uma quantidade adequada de fibras ajuda no melhor funcionamento do intestino, interferindo positivamente no humor.

Entrevistamos médicos especialistas em diferentes áreas, além de uma nutricionista, para reunir dicas úteis para cuidar do corpo e da mente neste período de quarentena. Confira, abaixo, as 12 principais indicações:

● Preste atenção ao pensamento que está escolhendo ter. “Todo mundo está sentindo alguma coisa, e isso vai repercutir na pele, no estômago, no coração”, diz a médica Márcia Senra, coordenadora do Departamento de Psicodermatologia da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

● Tente retomar atividades criativas que gostava de fazer e deixou de lado por algum motivo - e que podem ser feitas dentro de casa, é claro. Veja filmes alegres, leia um bom livro

● Reserve um tempo diário para ficar em um ambiente tranquilo e colocar em práticas técnicas respiratórias e fazer meditação guiada antes de dormir, para relaxar cada área do corpo. “Toda atividade que você coloca mente e corpo funcionando de forma integrada é excelente”, afirma a médica Márcia Senra.

● Faça exercícios de forma moderada, escolhendo algo que dê prazer. Dance, faça tai-chi-chuan ou ioga, por exemplo.

● Hidrate a pele, principalmente agora que as temperaturas estão mais baixas e a água do banho, mais quente. Aproveite para fazer uma automassagem.

● Tire o foco da comida. Tenha horários e rotina, mantenha as refeições principais - café da manhã, almoço e jantar - e estabeleça alguns horários para lanches saudáveis, como fruta ou uma barrinha de cereal, no meio da manhã e da tarde. “E, fora desses horários, se achou que está com fome, espere dar o horário de comer”, sugere o médico Madson Queiroz, professor da Faculdade de Medicina da USP e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

● Mude o foco quando perceber que a vontade de comer for uma compulsão, para compensar o estresse. “Respire fundo, vá ao banheiro, tome um banho. Depois de um tempo a pessoa vai ver se ela realmente precisava do doce”, diz Angélica. A vontade de um doce também pode ser sede. “Tome água e espere um tempo. Pode ser que melhore.” Saiba quando parar de comer: não espere estar totalmente saciado.

● Evite alimentos com muita gordura, que têm digestão mais difícil. “Outra coisa que interfere no nosso bom humor é o funcionamento intestinal, e uma alimentação rica em frutas, legumes e verduras vai ajudar nisso também”, diz a nutricionista Angélica Marques de Pina Freitas. É melhor ingerir legumes congelados, se essa for a única opção, do que não comer nenhum tipo de legume. E, se o seu fraco for pães, preste atenção nos recheios.

● Tente consumir frutas mais doces, como banana bem madura, mamão e manga, se a vontade de comer aquele docinho no final das refeições for irresistível. Se o desejo for de chocolate, opte por aqueles com menos gordura hidrogenada e açúcar, como o meio-amargo ou amargo.

● Fique atento: se a vontade de ingerir açúcar vier sempre no fim do dia, pode ser um indício de que a alimentação está desequilibrada. “Pode ser que faltem vitaminas, minerais e carboidrato”, afirma Angélica Marques de Pina Freitas, presidente da Associação Paulista de Nutrição.

● Beba muito líquido, de preferência água. Evite suco natural em excesso. É saudável, mas calórico. Não tome refrigerante, suco de caixinha. E reduza a bebida alcoólica ao mínimo possível. “Assim como algumas pessoas vão canalizar a ansiedade para a comida, que vira uma válvula de escape, outras podem fazer isso aumentando a ingestão de álcool. Está todo mundo em casa. O sábado passou a ser igual à segunda, à terça, quarta… Essa é uma preocupação extremamente relevante. Temos de controlar a ingestão de álcool”, afirma o endocrinologista Madson Queiroz.

● Café, chá preto e chá mate ajudam a piorar a ansiedade. O ideal é tomar de 2 a 3 xícaras (pequenas) por dia.

Maria Fernanda Rodrigues




notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide