AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 31/08/2018

Que a dieta mediterrânea traz benefícios para a saúde, isso ninguém duvida. Agora, pesquisadores do Departamento de Epidemiologia e Prevenção do Instituto Neurológico do Mediterrâneo (IRCCS Neuromed), em Molise, na Itália, analisaram a relação entre esse hábito alimentar e a mortalidade, e descobriram que ela é capaz de prolongar a vida de pessoas com mais de 65 anos.

De acordo com o estudo, a dieta, composta por uma mistura de frutas, legumes, peixes, azeite e consumo moderado de vinho, está associada a uma redução de 25% das mortes, independente da causa, e o efeito benéfico permanece mesmo qando se considera danos vasculares no cérebro.

A pesquisa foi realizada com cinco mil voluntários com mais de 65 anos que participaram de um estudo de 2005 que analisou a população de uma região do sul da Itália, além de outras avaliações epidemiológicas, chegando a um total de 12 mil idosos.

Embora a noção de que a dieta mediterrânica pode reduzir o risco de mortalidade não seja nova, esta é a primeira vez que se encontrou um efeito positivo relacionado à população da terceira idade.

"A novidade de nossa pesquisa é ter focado a atenção na população com mais de 65 anos. Nós sabíamos que a dieta mediterrânea era capaz de reduzir o risco de morte na população em geral, mas não sabíamos que geraria o mesmo benefício nas pessoas idosas", comenta a epidemiologista Marialaura Bonaccio, principal autora do estudo, no artigo de divulgação da pesquisa, que foi publicada no periódico científico British Journal of Nutrition.

Quanto mais você segue a dieta, incluido a limitação do consumo de carne vermelha, melhores são os resultados, de acordo com Licia Lacoviello, chefe do Laboratório de Epidemiologia Molecular e Nutricional do Instituto Neuromed e professora da Universidade de Insubria, também da Itália, em entrevista para o jornal inglês The Independent.

"Por meio da técnica de meta-análise, podemos confirmar que uma maior adesão à dieta mediterrânea reduz o risco global de mortalidade de uma forma progressiva. Em outras palavras, quanto mais você segue a dieta mediterrânea, maior o ganho em termos de redução do risco de morte", afirma a pesquisadora italiana.

Os pesquisadores descobriram ainda que um "consumo moderado de bebidas alcoólicas, se inserido no contexto alimentar mediterrâneo, é um fator de proteção para a saúde". Além disso, uma alta ingestão de gorduras monoinsaturadas, especialmente as provenientes do azeite e dos peixes (parte significativa dessa dieta), também aumenta muito a longevidade dos idosos.


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide