AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 04/02/2017

Ter um estilo de vida sedentário pode aumentar seu risco de demência tanto quanto uma predisposição genética para a doença.

Pior ainda, não praticar atividade física regularmente pode anular o efeito protetivo de um conjunto saudável de genes. A conclusão é de um estudo publicado recentemente no periódico científico Journal of Alzheimer’s Disease.

Pesquisa

No estudo, pesquisadores da Universidade McMaster em Hamilton, Ontario, no Canadá, acompanharam mais de 1 600 adultos com 65 anos ou mais durante cinco anos.

Os resultados mostraram que idosos com um estilo de vida sedentário apresentaram o mesmo risco de demência daqueles que carregaram a mutação genética APOE, principal fator de risco genético para a doença.

Por outro lado, as pessoas que se exercitaram pareciam ter menor probabilidade de desenvolver demência do que aqueles que não praticavam atividade física, mesmo que não carregassem o gene de risco.

“Ser inativo pode anular completamente o efeito protetivo de um conjunto saudável de genes”, disse Jennifer Heisz, principal autora do estudo, ao site especializado Health News.


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide