AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 15/03/2016

O mundo poderia se dividir entre aqueles que são incapazes de colocar algo na boca ao acordar e os que jamais saem de casa sem carregar as baterias com um bom café da manhã. De que lado você está? Seja de qual for, o certo é que se a sabedoria popular e as pesquisas científicas concordaram em algo ao longo do tempo é em dar à primeira refeição do dia a maior importância se queremos ficar fortes e saudáveis.

Podemos, entretanto, afirmar sem medo de errar que o café da manhã é a refeição mais importante do dia? E, se assim for, isso significa que uma vida mais saudável exige um café da manhã completo e equilibrado? O certo é que apesar da maioria dos especialistas em nutrição responderem afirmativamente a essa questão, também existem os que relativizam a resposta e até os que são contra.

Nesse sentido, a nutricionista e diretora técnica do Grupo NC Salud, Marta Gámez, acredita que as pessoas que tomam café da manhã habitualmente costumam preocupar-se mais com qualidade de sua dieta do que as que não o fazem. “Mas isso não determina a qualidade geral de sua alimentação, podendo ocorrer a situação do café da manhã ser feito de maneira saudável, mas o resto das refeições serem desequilibradas em termos nutritivos”, acrescenta.

Por outro lado, se você é dos que pertencem ao clube dos que não tomam café, segundo a nutricionista, seria conveniente fazer um esforço para dar oportunidade para essa refeição. Pulá-la pode acarretar mais possibilidades de sofrer ao longo do dia de enjoos, debilidade, boca seca, cansaço ou dor de cabeça. Além disso, segundo Gámez, ativa o modo economia de energia, mecanismo que entra em funcionamento quando ficamos mais de três horas sem comer e que provoca o armazenamento de gorduras por parte do metabolismo. “Pular o café da manhã favorece o aumento de peso”, diz a especialista.


Mas há controvérsias nesse aspecto. Recentemente, vários artigos publicados no The American Journal of Clinical Nutrition reproduziram os resultados obtidos pela Universidade do Alabama (Birmingham, Estados Unidos) e de Bath (Reino Unido) em estudos realizados sobre a influência do café da manhã na perda de peso. Em ambos os casos os pesquisadores são da mesma opinião ao afirmar que tomar café não engorda nem emagrece.

Ou seja, a primeira refeição do dia não é determinante para aumentar ou baixar de peso. Emily Dhurandhar, responsável pelo estudo realizado na Universidade do Alabama, faz esta afirmação e acredita que, em relação ao controle de peso, “o café da manhã é somente uma refeição a mais”.

Marta Gámez, por sua vez, insiste que distribuir cinco refeições ao longo do dia evita cair em episódios de ingestão compulsiva: café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e jantar. “Não devem existir mais de 3 ou 4 horas entre elas, começando o mais tardar uma hora e meia depois de termos acordado”, aconselha.

Genes ou infância

Outra questão distinta é o caso daquelas pessoas que não tomam café da manhã porque se sentem incapazes de ingerir um pedaço que seja durante as primeiras horas do dia. Que razões existem por trás dessa falta de apetite matutino? É uma conduta que faz parte da herança genética ou não é mais do que um costume aprendido? Segundo Anabel Fernández, nutricionista da Clínica Alimmenta, existem duas razões principais: “Consumir muitas calorias no jantar do dia anterior costuma ser uma das razões mais comuns que justificam a falta de apetite. Mas o motivo mais generalizado é o costume de não comer ao despertar, aprendido desde a infância”.

Marta Gámez nos desafia a mudar de hábitos, e recomenda um café da manhã ideal: pão ou cereais, integrais de preferência; fruta, que nos aconselha a comer em pedaços, melhor do que na forma de suco; e leite, preferivelmente em sua versão desnatada.

Mas e se como ovos, salsichas e bacon? Melhor continuar então com o copo de água ou somente um cafezinho? O nutricionista Pablo Barcina é claro: “Se este tipo de café da manhã é acompanhado de uma atividade física elevada e hábitos de vida saudáveis, e incluímos um consumo adequado de frutas, verduras e hortaliças no resto das refeições do dia, não deveria haver nenhum problema. De fato, pode ser que não tomar café nos leve para um desequilíbrio nutricional maior”.

Anabel Fernández corrobora essa ideia e insiste. “Apesar de ser mais saudável tomar café, o verdadeiro problema não está no fato de não o fazer, mas em ter uma alimentação desordenada”.

Portanto, se você é dos que não tomam café da manhã, comece a pensar que talvez seja uma boa ideia incluir em sua lista de boas coisas a fazer de setembro uma primeira refeição equilibrada, suculenta e energética. “Para isso, pode começar com pequenas quantidades e depois comer um pouco mais. Muitas pessoas que começam a tomar café depois criam o hábito e não conseguem sair de casa sem fazê-lo”, assegura Fernández, que conclui: “Não se trata de tomar café de qualquer jeito, mas sentar e desfrutar da primeira refeição e começar o dia tranquilamente”.


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide