AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Vida saudável



Publicado em: 09/12/2015

“A depressão tem várias formas. Ela pode ser leve, e as pessoas continuam funcionando normalmente, ou então pode ser severa e debilitante”, disse ao The Huffington Post Josie Znidarsic, médico de família da clínica de bem estar da Cleveland Clinic. “Pode acontecer com qualquer um... Não é preciso haver um grande trauma. E não é algo que vá desaparecer se for simplesmente ignorado.”

É claro que há casos em que a depressão não é causada por circunstâncias externas. A química cerebral, os hormônios e a herança genética podem ser fatores importantes.

Dito isso, às vezes algum fator externo pode levar ao desenvolvimento de doenças mentais. Veja abaixo alguns fatores surpreendentes que podem contribuir para a depressão.


1. Doenças crônicas

Lidar com doenças crônicas é difícil física e emocionalmente. As pessoas que sofrem de problemas crônicos como doenças cardíacas, diabetes e câncer têm maior propensão a sofrer de depressão, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

É importante notar que os cientistas ainda não determinaram se a depressão leva a doenças crônicas ou vice-versa. Mas os especialistas ressaltam que há maneiras específicas de administrar o problema mental durante o tratamento das doenças crônicas.

2. Fumo

Mais um bom motivo para largar o cigarro: um estudo britânico de 2015 indica que os fumantes têm maior probabilidade de sofrer de ansiedade e depressão do que os não-fumantes.

Além disso, o estudo descobriu que fumar pode ser uma fonte de ansiedade, por causa da sensação de abstinência.

“Aquele ‘barato’ do cigarro não é útil, pois é destrutivo para o corpo”, disse previamente ao HuffPost Michael Roizen, chefe da área de bem estar da Cleveland Clinic.

“O ideal é descobrir o que te dá um ‘barato’ e que não cause ou contribua para doenças. Pode ser exercício, conversar com amigos ou cozinhar. Tudo isso ajuda, especialmente quando se trata de depressão.”

3. Uso excessivo das redes sociais

As mídias sociais são apenas um olhar de relance sobre a vida das pessoas; elas não retratam a realidade. Ainda assim, você pode usá-la para se comparar com os outros. Esse processo subconsciente é chamado pelos pesquisadores de “comparação social” e pode levar à depressão, segundo estudo publicado no Journal of Social and Clinical Psychology.

4. Seu bairro

Você mora na cidade ou no campo?

Isso pode ter impacto na sua saúde mental. Pesquisas mostram que as pessoas que moram em áreas urbanas podem ser mais suscetíveis a doenças mentais, particularmente a depressão, diz a Scientific American.

Embora os pesquisadores afirmem que as causas subjacentes sejam incrivelmente complexas, acredita-se que passar mais tempo junto à natureza pode ser um antídoto poderoso.

5. Dieta

Seu corpo e sua mente podem estar ligados ao que você consome.

Pesquisas sugerem que as pessoas que têm maus hábitos alimentares – comidas com muita carne processada, açúcar e gorduras – também tinham maior propensão a relatar sintomas de depressão, segundo a Mayo Clinic.

Uma análise de dados publicada em 2008 no Indian Journal of Psychology afirma que “a nutrição pode ter papel decisivo no início e na severidade e duração da depressão”.

Isso é cíclico, claro. A depressão também pode levar à perda do apetite e às vezes impede uma nutrição adequada. Os especialistas afirmam que essa relação é complexa, mas, de qualquer modo, é algo a ter em mente quando se trata do seu humor.

6. Passar muito tempo sentado.

O único caminho para uma mente e um corpo saudáveis é priorizar não só o que você come, mas também seu nível de atividade física. Pesquisas mostram que o exercício pode melhorar o humor.

Não só isso: o sedentarismo pode estar associado a sintomas de depressão. Hora de se mexer.

7. Falta de sono

Privação de sono não é brincadeira. Se você está com o sono atrasado, não só corre risco de sofrer de doenças crônicas, como problemas cardíacos, como também de ter depressão.

Pesquisas apontam que a falta de sono pode interferir com o humor.

A depressão também pode ter impacto na qualidade do seu sono, criando um ciclo vicioso.

8. Inflamação cerebral

Novas pesquisas indicam que sintomas depressivos podem estar ligados a “neuroinflamação”, ou uma resposta natural de proteção do cérebro.

Um estudo publicado na revista JAMA Psychiatry indica que os índices de inflamação cerebral eram 30% mais altos em pacientes deprimidos. Isso pode ser boa notícia no que diz respeito ao estigma, uma vez que muita gente acredita que a depressão é algo que possa ser simplesmente “superado”.

9. Não priorizar suas necessidades

Se você coloca as necessidades dos outros na frente das suas, sua saúde mental pode ser prejudicada. “Muitas vezes as pessoas não deixa espaço nem tempo para cuidar de si mesmas”, diz Znidarsic.

Se você acha que está sentindo depressão, há esperança, diz Znidarsic. Há maneiras de administrá-la e voltar a se sentir bem – porque você merece ser saudável.


notícias da mídia Autores variados

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide