AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 31/10/2015

1. A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO PARA O FUTURO

De acordo com Karin Kenzler, psicóloga do Colégio Humboldt, ao dialogar com os filhos pré-adolescentes, os pais precisam tomar alguns cuidados para não intimidar ou sufocá-los. "Em primeiro lugar é importante lembrar que o foco da conversa sempre deve ser o de criar intimidade, e não o volume de informações ou instruções que se pretende passar. Criar laços afetivos e manter o canal de comunicação aberto é a melhor maneira de ter acesso à vida de seu filho, para poder orientá-lo e desfrutar de sua companhia", ela afirma.

Desta forma, é importante ressaltar a importância dos estudos no futuro do jovem, mas não através de palavras e sermões e, sim, através de seu comportamento. Fiscalizar, cobrar, brigar, para que seu filho estude pode até funcionar, mas não vai motivá-lo. "Crie um ambiente familiar em que assuntos de conteúdo escolar são valorizados. O diálogo em casa, nas refeições, no carro, deve valorizar a cultura geral e motivar a busca de conhecimento. Não pergunte ao seu filho se fez a lição, mas o que esta estudando".

2. O PERIGO DE SE EXPOR NA INTERNET

Fotos e mais fotos fazendo caretas, de biquíni ou com vestido curtinho. Cliques de festas regadas a cerveja e postagens cheias piadinhas sem graça. Os adolescentes nem se dão conta, mas podem estar se expondo demais - e de forma negativa - na internet. O dever do pai é explicar que esse tipo de atitude pode prejudicá-los quando forem procurar um emprego ou até mesmo colocá-los em situações perigosas, como acontece quando as fotos vão parar em sites de prostituição ou, ainda, nas mãos de pedófilos.

3. A ESCOLHA DA RELIGIÃO

"Os pais primeiramente devem ser amigos de seus filhos, pois a confiança entre eles é fundamental para que os adolescentes possam conversar sobre todos os assuntos e com isso não esconder nada que possam os surpreender mais tarde", afirma Cesar Marconi, diretor pedagógico do Colégio Mary Ward. Sempre que possível converse abertamente com seu filho sobre a religião que sua família segue e mostre o que você acredita.

Se, em algum momento, ele achar que não concorda mais com esses princípios, ou se não encontrar o que busca nela, ele irá se decidir por outro caminho e precisará se sentir à vontade para conversar abertamente sobre isso com você. Neste caso, o papel dos pais é dar a oportunidade para o filho se conhecer melhor. Se você confia nos valores que passou a seu filho, acredite no caminho pelo qual ele optar.

4. CUIDADO COM AS AMIZADES

Tente conhecer os amigos do seu filho. Se ele se relaciona com pessoas agressivas, chame-o para conversar e mostre o risco e as consequências dessa escolha. "Ao aconselhar seu filho a respeito de uma amizade, procure não ser radical ou autoritário, pois você corre o risco dele continuar se relacionando com a pessoa sem o seu conhecimento, e pior, mentindo para você. Procure conversar expondo suas preocupações, fazendo com que tome conhecimento dos riscos e aprenda a fazer suas escolhas. E se ele confiar em você vai continuar lhe contando com quem anda e por onde", aconselha a psicóloga Karin Kenzler.

5. OS PERIGOS DO ÁLCOOL

A adolescência é mesmo a fase em que os jovens experimentam bebida. Isto é fato! Antes de seu filho começar a sair de casa, converse com ele sobre todos os perigos do consumo excessivo de álcool. Esclareça a diferença entre beber um cálice de vinho num almoço familiar, em casa, e ficar embriagado para se divertir numa festa com os amigos. Explique a preocupação com sua saúde e sua segurança e deixe claro que não há acordo possível quanto ao abuso da bebida, dentro ou fora de casa. Fale abertamente sobre os perigos que ele corre, como o de sofrer um acidente de carro ou se meter em brigas feias. "Este tipo de diálogo deve ocorrer em casa, na medida do possível, diariamente. Não espere que um algo de ruim aconteça para depois conversar", afirma Cesar Marconi.

6. A IMPORTÂNCIA DE FICAR LONGE DAS DROGAS

Nas conversas sobre o perigo das drogas, abra espaço para seu filho tirar todas as dúvidas. Deixe claro que as pessoas podem perder o controle do uso dessas substâncias - cujo fornecimento, aliás, é proibido. Procure pesquisar e converse sobre os efeitos específicos de cada uma delas. Segundo Karin Kenzler, muitos pais não sabem como abordar estes temas por temerem a reação dos filhos, delegando a tarefa unicamente à escola. "Os programas de prevenção e orientação na escola devem ser complementados com diálogos em casa, onde os valores de cada família e cultura podem ser passados."

7. SEXO SEGURO

Fale de sexo mencionando sempre o amor. Deixe claro para seu filho que a escolha do parceiro - e o afeto - é importante e explique os riscos e cuidados que devem ser tomados durante o relacionamento. "Para facilitar a conversa, a abordagem deve ser informal, inserida em situações cotidianas como no carro, almoço ou passeio. Abordar o tema a partir de uma noticia do jornal, de um acontecimento publico ou conteúdo de novela, diminui a o constrangimento sentido pelo jovem, deixando o mais a vontade para tirar suas dúvidas", comenta Kenzler. Não se cobre para ter respostas para tudo sobre este assunto na ponta da língua. Às vezes, só de estar disposta ao dialogar com o filho já ajuda! Seu filho quer encontrar um ambiente em que se sinta acolhido e que possa tirar dúvidas sem sentir vergonha.

8. POR QUE DEVEMOS SER ORGANIZADOS E RESPONSÁVEIS?

A desorganização e falta de responsabilidades dos jovens, que hoje afeta a harmonia familiar, pode se tornar um grande problema no futuro, a ponto de atrapalhar o desempenho na universidade e no mercado de trabalho. Converse com o adolescente sobre a importância de cuidar das suas coisas e ser organizado. "Se o filho desde pequeno for orientado a guardar seus brinquedos ele criará o hábito de organizar suas coisas e consequentemente seu quarto, suas lições, atividades e etc. É perfil do adolescente ser um pouco relapso, até por questão de formação, a rebeldia. O que não pode ocorrer é o relapso se tornar regra em sua vida", explica Cesar Marconi.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide