AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 29/06/2015

Congelar a comida pode ser uma boa solução para evitar o desperdício, garantir sempre uma alternativa à mão e até mesmo economizar. Usar o congelamento não é difícil e pode fazer parte da rotina de maneira fácil, basta seguir algumas regrinhas básicas para evitar problemas. Zenir Dalla Costa, coordenadora do curso de Cozinheiro Chef Internacional do Senac, ensina alguns truques para manter o freezer cheio:

- Divida os alimentos em porções de acordo com o tamanho da sua família ou modo como será preparado. A receita vai ser feita de uma vez? Cada um monta o seu próprio prato em tempos diferentes? O ideal é deixar já na proporção correta para evitar desperdícios. Para facilitar a vida, cozinhe uma vez por semana e separe em porções diárias. O feijão, por exemplo, pode ser colocado em potes com quantidade suficiente para todos os membros da família ou em tamanho individual.

- Congele a carne crua em bifes. Separe os bifes em saquinhos individuais e não use temperos. Nem sal e nem pimenta. Depois, a carne pode sair do freezer direto para a frigideira. Para congelar a carne já pronta, o ideal é que a receita leve algum tipo de molho.

- Divida o frango em pedaços. Aves devem ser congeladas separadamente e já temperadas. Isso ajuda a melhorar o sabor.

Peixes e carnes cruas devem ser congelados sem temperos. Nem sal e pimenta

Peixes e carnes cruas devem ser congelados sem temperos. Nem sal e pimenta

- Filés de peixes devem ir ao freezer já limpos. Depois de porcionados, congele individualmente e sem temperos.

- Evite congelar alimentos com muito amido. Eles acabam liberando água e perdendo muito sabor e qualidade quando voltam a temperatura normal.

- Frutas perdem muito com o congelamento. Só coloque frutas no freezer se for usar para uma preparação específica quando a fruta estiver fora de época e se aparência não for o foco da receita.

- Pães franceses sempre frescos. Congele o pão da sua padaria favorita e na hora de esquentar é só embrulhá-los em papel alumínio e levar direto ao forno. Quinze minutinhos depois, eles estarão crocantes. O pão de forma também pode ir ao freezer, mas deve ser consumido bem tostadinho para um resultado melhor.

- Doces podem ir ao freezer. Também é possível congelar bolos e outros doces, mas alguns perdem a qualidade. No caso dos pudins, por exemplo, as caldas ficam aguadas.

- Não precisa deixar esfriar o alimento para congelá-lo. A geladeira pode sofrer um pouco com a temperatura do prato quente, mas o congelamento é mais eficaz, já que a carga de microorganismos é menor e o risco de contaminação também.

Use sempre embalagens apropriadas com etiquetas identificando o produto e a validade

Use sempre embalagens apropriadas com etiquetas identificando o produto e a validade

- Use a embalagem correta. Arroz, carne e feijão devem ser armazenados em potes fundos e flexíveis para facilitar a retirada. Enquanto, bifes e filés devem ser acomodados em saquinhos resistentes para economizar espaço. É só empilhar um em cima do outro.

- Sempre identifique os produtos. Coloque uma etiqueta com o nome do ingrediente e a o prazo aproximado de validade.

- Fique atento à validade. Produtos temperados ou cozidos aguentam bem 3 meses, enquanto os alimentos crus duram cerca de 1 ano a uma temperatura negativa de 18ºC, comum dos aparelhos domésticos.

- Descongele sempre na geladeira. Os alimentos congelados não devem sofrer com a mudança brusca de temperatura. Deixe descongelar na parte mais baixa da geladeira.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide