AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 26/06/2015



Um currículo bem preparado é um passaporte para aquela entrevista de emprego tão desejada. Mas o que um estudante prestes a se formar pode fazer para encher páginas com alguma experiência? E pessoas que sempre tiveram trabalhos pouco desafiadores mas se sentem capazes de dar um salto na carreira?

Aqui vão algumas dicas.

Assinale quadradinhos

“Todo tipo de experiência é relevante se for possível assinalar os quadradinhos”, diz Dan Farkas, professor de comunicação estratégica no curso de Jornalismo da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos. Para isso, ele orienta seus alunos a começar olhando quais os requisitos necessários em um determinado emprego. “Isso dá ao candidato uma base. Ele precisa então pensar em tudo o que já fez na vida e que possa se refletir naquele trabalho que está pleiteando”, explica.

“Se você já trabalhou em uma lanchonete, por exemplo, já esteve na posição de comprador ou de vendedor. Provavelmente já teve que lidar com reclamações de clientes, ou verificar a eficiência das operações”, descreve Farkas. A experiência de montar escalas de trabalho ou treinar novos funcionários também conta, principalmente se você está buscando um cargo de gerente.

“Provavelmente tudo o que está mencionado nos requisitos para o emprego é algo que se pede em todos os empregos. Você só tem que encontrar maneiras criativas de mostrar que pode fazer”, conclui.

Todo tipo de experiência ensina algo que você pode destacar em seu currículo.

Depois de passar anos no mesmo emprego, é comum subestimar as contribuições que você fez para sua empresa. Para Mary Goldsmith, consultora de carreiras em Melbourne, na Austrália, é importante lembrar que as companhias estão em constante processo de mudanças, o que mantém a maioria dos empregados aprendendo mais do que eles acham que aprendem.

“Mesmo que as funções se pareçam as mesmas, só o fato de se manter a par de avanços tecnológicos já é algo que conta pontos, pois outras pessoas sem experiência levam tempo para aprender e aplicar com sucesso”, diz Goldsmith.

A especialista conta que costuma incentivar seus clientes a incluir no currículo projetos nos quais eles estiveram envolvidos além de suas responsabilidades normais. Isso pode variar desde aquele período cobrindo as férias de seu chefe até a ajuda no programa de treinamento da empresa. Se você já atuou como mentor ou já acompanhou colegas novos em seus primeiros meses, “isso pode indicar um aprendizado constante e o desenvolvimento de habilidades”.

Também é importante incluir qualquer treinamento relevante que você possa ter tido na sua empresa ou ainda atividades como voluntário. “Todas essas atividades podem ser acrescentadas como concretizações e dão um ‘up’ em um currículo”.

Mostre o que você é capaz de fazer

Shikha Arora, recrutador sênior da SAP Ásia, com sede em Cingapura, conta que percebeu uma tendência no mercado de conduzir entrevistas de emprego mais centradas na competência do candidato, o que pode ser uma boa notícia para quem nunca teve um CV muito glamouroso.

“A melhor maneira de realçar seu currículo quando não há nenhum tipo de realização para mencionar é enfatizar suas habilidades e seus pontos fortes”, afirma ela.

“Essas qualidades são transferíveis e não dependem de cargo ou profissão”.


Fale de você

“Sem experiências relevantes ou com um currículo magro – ou talvez porque seu currículo seja extenso demais – é fácil se deixar dominar pela sensação que sua candidatura não vai vingar”, afirma Patrice Tanaka, sócio da Joyful Planet LLC, uma empresa de estratégias de carreira de Nova York.

Mas ela lembra que há maneiras de contornar a situação. Em vez de apenas listar o seu histórico de empregos, inclua outros itens mais interessantes que sejam relevantes, dividindo-os em várias seções. Por exemplo:

um resumo de suas qualificações, um trecho com suas principais habilidades ou uma seção “Sobre Mim”, com seus interesses, seu envolvimento com sua comunidade, prêmios e reconhecimentos, ou até algum elogio vindo de seus antigos chefes.

“Apimentar um currículo tímido com algumas dessas seções vai apresentar uma imagem mais sólida das suas capacidades e seus talentos, em vez de deixar que você seja definido apenas por seu histórico de empregos”, diz a consultora.

Ela acrescenta que você pode ainda incrementar seu currículo com pinceladas sobre você como pessoa, em vez de incluir isso apenas na carta de apresentação.

“Como recrutadora com mais de 30 anos de experiência, sempre busquei currículos que se diferenciassem do resto ao contarem a história de uma pessoa e me fizessem ter curiosidade de conhecê-la pessoalmente. E isso é o primeiro passo para conseguir um emprego. Os currículos mais chatos são aqueles que mostram apenas um histórico profissional em ordem cronológica, sem deixar transparecer nada sobre o que o candidato sonha, espera e tem como objetivo de vida”, define ela.



Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide