AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 19/07/2012

Encontrar uma profissional qualificada e com experiência comprovada para cuidar dos filhos não é tarefa fácil para muitos pais.

Segundo a coordenadora de cursos de Babá da Unire Desenvolvimento Humano, Ângela Clara Corrêa, antes de contratar, é preciso identificar algumas qualidades no profissional. A primeira delas é a maternagem, que é a habilidade de cuidar, dedicar-se por amor e ter um desejo instintivo de proteger uma criança. Ângela explica que esta característica não se aprende em curso, é algo natural do profissional.

O segundo ponto a se observar é se a babá possui algum curso de especialização. Afinal é o conhecimento técnico que irá ajudar o profissional a exercer a profissão com segurança e sem amadorismo.

A especialista ainda explica que não há como os pais identificarem de “cara” se uma babá é boa ou não.
“Não há como saber sobre a personalidade de uma pessoa apenas na cara ou no discurso. Ou ainda confiar em seu 'feeling'. É perigoso se basear nestes elementos para escolher uma babá”, explica Ângela.

Para contratar uma babá a especialista aconselha a contratação de uma empresa especializada na seleção.

O que observar durante a entrevista

Em primeiro lugar, os pais devem agendar horários em que possam fazer as entrevistas com calma.

Uma babá deve gostar de crianças, então observe se ela sorri quando fala de crianças, se fala com carinho, se sente saudades de outros trabalhos, se ainda tem contato, a postura, o modo como se veste e a linguagem.

Pesquise a escolaridade da candidata, um pouco do histórico familiar, com quem mora, o que gosta de fazer nas folgas, se toma medicamentos ou se faz tratamentos.

Teste seus conhecimento, por exemplo, perguntando como ela faria em determinadas situações ou que alimentos sabe preparar.

Pergunte sobre as experiências anteriores, que atividades exerciam com as crianças e que elas mais gostavam.

Se perceber qualquer indício de mau humor, levianismo, rancor ou agressividade recuse o serviço dessa profissional.

Idade da baba x idade da criança

Com relação à idade da babá, a especialista explica que é preciso ter uma combinação entre energia e habilidade para propor atividades para cada faixa etária.
Entre cinco e seis anos, é necessário ter maturidade para colocar limites e um lado infantil para propor brincadeiras e, assim, ter uma relação saudável com esta criança.

“As babás mais velhas preferem bebês, assim como as mães, pois as julgam mais responsáveis. E as mais novas realmente têm mais energia, mas nem sempre têm domínio e jogo de cintura nas situações de birra ou que exigem assertividade”, explica Ângela.

Onde procurar

As melhores formas de buscas são através de indicações de amigos ou parentes, mas lembre-se sempre de optar por profissionais capacitados.

As empresas de colocação são as mais indicadas, no entanto, verifique se a empresa é idônea.
Os anúncios em jornais são recursos de alto risco, segundo Ângela. Pessoas mal intencionadas se utilizam deste recurso para aplicar golpes em famílias.

Adaptação

O período de adaptação é uma fase muito importante no processo de contratação. Nesse tempo você deve observar e checar o que foi feito.

É uma fase em que a babá precisa de muita orientação para gerar uma sintonia entre a mãe e a criança. A comunicação entre a família e a babá é um quesito importante, somente assim o trabalho progride. O tratamento de respeito dever ser a marca desta relação, pessoas bem tratadas retribuem com dedicação e fidelidade.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide