AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 26/02/2012

Quando comemos, nosso metabolismo logo entra em cena, transformando as calorias na energia que precisamos para viver e realizar as mais diversas atividades, como tomar banho, trabalhar, fazer academia...

Por questões genéticas, algumas pessoas realizam esse trabalho de forma mais acelerada do que outras, resultando em um gasto calórico maior. A boa notícia é que, independente do que diz seu DNA, é possível aumentar a velocidade do metabolismo, transformando-o em uma verdadeira máquina de queimar calorias. Confira!

Aliados na cozinha

Segundo a nutricionista Catarina Stocco, da clínica Dietclin, de Curitiba (PR), alguns alimentos são capazes de estimular o metabolismo a gastar mais energia mesmo quando você está em repouso. “Eles também atuam na diminuição da inflamação, uma das causas de obesidade”, completa. Mas, para sentir os efeitos na cintura, deve-se incluí-los com regularidade na alimentação, combinado? Agora, pegue a listinha do mercado e anote o que não pode faltar na sua despensa e como deve ser o consumo.

Chá-verde: de 2 a 4 xícaras por dia
Café: 1 xícara antes dos exercícios
Pimenta vermelha: uma pitadinha por dia, no molho ou na comida
Gengibre: 1 colher (café) de folhas picadas por dia. Use em alimentos ou sucos
Farinha de linhaça: 1 a 2 colheres (sopa) por dia
Curcuma (açafrão-da-terra): 1 colher (café) por dia, adicionada à comida
Peixe: 100 a 150 gramas, de 2 a 3 vezes na semana
Brócolis: 1 xícara (chá) por dia
Cacau: 1 quadradinho ou 30 gramas de chocolate amargo por dia
Chá de hibisco: 2 a 3 xícaras por dia
Algas: 1 folha, 2 vezes por semana, adicionada aos alimentos
Semente de mostarda: 1 colher (chá) por dia. Salpique na comida
Canela: 1 colher (chá) ao dia
Vinagre de maçã: 1 colher (chá) por dia. Use para temperar a salada
Frutas cítricas (como laranja e kiwi): 1 a 2 unidades por dia
Alecrim: 1 colher (sobremesa) por dia. Adicione aos alimentos
Azeite de oliva extra-virgem: 1 a 2 colheres (sopa) por dia

Turbine o treino


Sabia que dá para continuar despachando calorias depois da academia, quando você já está em casa, assistindo à televisão? Para realizar essa façanha, basta providenciar pequenos ajustes no treinamento. “O segredo é manter o consumo de oxigênio elevado mesmo depois da malhação”, conta Amanda Alves Costa, professora da Cia Athletica e do CEU Uirapuru, de São Paulo (SP). Como? É simples, veja só:

Nos exercícios aeróbicos


“Na esteira, prefira fazer pequenos intervalos em uma velocidade desconfortável e depois descansar em um ritmo mais tranqüilo a ficar o tempo inteiro no nível intermediário. Isso porque os ajustes de intensidade fazem o consumo de oxigênio disparar”, descreve a profissional. Para quem gosta de aulas com mais interatividade, uma boa pedida é o spinning (na bicicleta ergométrica), que trabalha o tempo inteiro com variações de esforço.

Na musculação


Já para as que curtem puxar ferro a recomendação é fazer intervalos curtos entre uma série e outra – 30 segundos já está ótimo. O truque para não cansar e precisar diminuir o peso é trabalhar dois músculos ao mesmo tempo. “Faça uma série de 15 repetições para braço e, ao invés de ficar descansando ao lado do aparelho, realize uma série para o bumbum. Assim, você se mantém sempre acelerada”, ensina Amanda.


Aliar as duas atividades é uma excelente estratégia para o consumo de oxigênio subir. A dica da professora da capital paulista é fazer alguns minutos de esteira ou bicicleta toda vez que completar um exercício de musculação (com 3 séries de 15 repetições). “Você alia os benefícios das duas atividades e, de quebra, garante que o metabolismo continue a todo vapor mesmo depois do fim do treino”.

Mudança de hábitos


Quando o assunto é dar um gás no gasto calórico, algumas regrinhas de comportamento valem ouro. Ter uma boa noite de sono é uma delas. “É nesse período que tudo acontece: hormônios são liberados, forma-se a massa magra, etc. Por isso, se não dormir bem, o organismo tende a ficar desregulado durante o dia”, explica a nutricionista da Dietclin.

Comer várias vezes durante o dia também faz parte dos mandamentos para ativar o metabolismo. Isso porque, se ele não tiver descanso, não entrará no modo “superlento”. Aí que sai ganhando (ou melhor, perdendo) é sua cintura. Catarina lembra, no entanto, que à noite o metabolismo também merece uma pausa, por isso, o ideal é jantar cerca de três horas antes de ir para a cama.

“Nesse momento, ele não trabalha tanto a seu favor, então nada de exagerar na comilança. O ideal é repetir a refeição do almoço ou optar por uma sopa de legumes. Se não for possível, faça um lanche completo, com pão integral, salada verde e outros vegetais e proteína magra, como atum, sardinha, peito de peru, presunto magro ou ovo mexido”, finaliza.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide