AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 19/12/2011

Seja em rituais ou em pratos, ingredientes especiais adquirem um gostinho de prosperidade na virada do ano, compondo um cardápio de fartura simbólica cultivado há milênios nos mais diferentes terroirs.

No Brasil, um elemento central das receitas de Ano Novo é a lentilha. "Os grãos em geral, além de constituírem a base da alimentação das grandes civilizações, aumentam de tamanho quando cozidos e, por isso, simbolizam a fertilidade em muitas culturas", justifica Sandro Dias, professor de história da gastronomia no Centro Universitário Senac de São Paulo.

Para que não falte dinheiro nem saúde no novo ano, a lentilha deve ser o primeiro alimento ingerido na ceia. No prato mais típico, é combinada ao arroz, alimento que pode até ser trivial nas mesas brasileiras, mas tem um sabor de fertilidade e felicidade para o paladar de japoneses, chineses e hindus.

À moda italiana e alemã, é servida com carne suína. "O porco é considerado um animal progressivo porque fuça para a frente, enquanto as aves, que ciscam para trás, são contra-indicadas nesse momento marcado pela expectativa de renovação", explica o especialista em antropologia da alimentação Raul Lody.

Ainda no menu de carnes, têm lugar no cardápio os peixes, que, por nadarem quase sempre em cardume e se reproduzirem por uma grande quantidade de ovas, representam a união e a abundância. O clássico na ceia brasileira é o bacalhau, ainda hoje associado à fartura do passado, quando foi a principal fonte de proteína para os portugueses, até que a escassez da espécie Gadus morhua a elevasse ao status de alimento nobre.

SIMPATIA

Entre o prato principal e a sobremesa, há quem coma três, sete ou 12 uvas e guarde as sementes na carteira, enquanto o ritual semelhante com a romã pode ser feito no revéillon ou no Dia de Reis. O poder dessas frutas está nas sementes, carregadas da ideia de multiplicação e fartura.
E uma celebração não poderia acabar melhor senão em uva, fruta nobre em muitas culturas. "É a matéria-prima do vinho de Baco, o deus dos excessos e das festividades", explica Lody.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide