AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Consultas Boa Vista SCPC
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 22/11/2019

Está para ser criada uma sensação mais gostosa do que apreciar seu cafezinho preferido no conforto de sua casa. Já os amantes da bebida que não sabem como fazer um café coado são forçados a degustar uma xícara em suas cafeterias favoritas. Não mais!

O HuffPost Brasil esteve na Semana Internacional do Café, que aconteceu entre os dias 20 e 22 de novembro no Expominas BH, em Belo Horizonte, Minas Gerais, e conversou com especialistas da bebida e até participou de um workshop de como fazer café coado, a convite da Nescafé.

Aqui vai o passo a passo de como fazer café em casa e dicas de como se profissionalizar no tema.

Fazer café coado é uma arte.

Como fazer um café coado com perfeição em 6 passos

Escolha um bom café. Se você já tem uma marca preferida, vá com ela. Porém, segundo a mestre de torra Bruna Mussolini, buscar cafés diferentes e complexos é uma boa alternativa para abrir seu leque de conhecimento.

“Nesse quesito, um café especial traz muitas possibilidades. O mais legal deste café é a gama de aromas e sabores dos diferentes terroás [onde o café é cultivado]”, sugere a dona da Cora Café, loja de torrefação de cafés especiais.

Atenção com a água.

Com o café em mão, a próxima etapa é a escolha da água ― que é mais importante nesse processo do que você imagina. Conforme ensinou Gisele Coutinho, que faz cursos sobre cafés especiais e é dona da loja especializada Pura Caffeina, utilizar água filtrada, água mineral ou água da torneira pode alterar o gosto do café, uma vez que a fervura não retira todos os compostos da água. Uma água da torneira, por exemplo, pode ter mais cloro e isso pode afetar no resultado final.

Filtro escaldado.

A próxima etapa é limpar o filtro de papel antes de coar o café. “Normalmente a gente coloca o filtro de papel e joga o pó e a água fervente tudo de uma vez. Mas é fundamental que a gente escalde esse filtro antes”, conta Raquel Meirelles, Consumer Marketing da Nescafé. Ao ferver a água, molhe o filtro antes de acrescentar o café. Isso evita que o sabor e até o cheiro do papel (da celulose) interfira no produto final. “Coloque o filtro, jogue um água quente em todo o coador e depois acrescente o pó de café”, sugere Meirelles.

Na hora de fazer café, deve haver cuidado com a água.


Cuidado com a temperatura. Segundo Meirelles, evite jogar água muito quente no pó, para não queimá-lo. Não é preciso comprar termômetro, basta esperar um minuto após desligar o fogo.

Passe o café em círculos. Gisele Coutinho não recomenda jogar a água fervente de uma vez no café. O ideal é colocar água aos poucos, em movimentos circulares, até o fim. Colocar água de uma vez só pode deixar o café mais fraco e menos saboroso.

Cuidado ao guardar o café. Não só o preparação que impacta a qualidade do café. Como o produto oxida quando entra em contato com o ar, as especialistas não recomendam guardar o produto por muito tempo, mesmo mantendo-o em local fresco e sem umidade. “Ele naturalmente vai oxidar, então não é bom deixar ele aberto por muito tempo. Quanto mais fresco é o café, melhor vai ser a bebida”, finaliza Raquel Meirelles.

Seja um especialista em cafés

Amantes da bebida pode ir além e aprimorar não só a técnica de passar o cafezinho, mas também como avaliar um bom café. E, para as especialistas, nada adianta se você ainda adoça sua bebida.

“O consumidor médio brasileiro consome cerca de 12 gramas de açúcar por xícara de café. Assim todo o café vira a mesma coisa”, conta Raquel Meirelles. “A primeira forma de começar a identificar toda a complexidade de um café é tirando o açúcar.”

Segundo Meirelles, pesar a mão no açúcar pode estar relacionado não só ao hábito, mas ao gosto do café. “Muita gente fala que não consegue beber sem açúcar, mas pode ser um café de pior qualidade.”

Outro tabu é a cor da bebida. O brasileiro comum, continua Meirelles, gosta de café escuro e muito forte e tende a rechaçar o café com uma torra mais clara ― que normalmente é o de melhor qualidade.

″É importante entender por que o café especial tem um torra clara. Quando se torra mais o café, se escondem também os defeitos dele. Tem café que pode ter até palha no meio e, quando se torra muito, não é perceptível”, conta a Consumer Marketing da Nescafé.

Quando o café é claro, ele não tem defeito porque não tem como esconder.
Se você torra muito um café bom, está queimando a qualidade e não o defeito.
Raquel Meirelles, Consumer Marketing da Nescafé.
Para quem quer contemplar ainda mais o café, eis uma outra dica: espere ele ficar mais morno, e não beba logo após ser feito. “A recomendação é tomar não tão quente e sem açúcar”, enfatizou Meirelles.

Encontrando um bom café no mercado
De acordo com Bruna Mussolini, aprimorar seu paladar está diretamente relacionado à busca por cafés diferentes, de linhas premiuns.

É fato que a precificação de um produto mais artesanal será maior do que um café de commodity. “Não é pelo sentido do valor, mas pela qualidade mesmo”, justifica Bruna, acrescentando que cafés especiais são indicados para quem quer aprender mais sobre o mundo do café.

Mas não só o preço que torna um café especial. Veja abaixo o que você precisa prestar atenção ao comprar um café de qualidade:

Veja a procedência, como a região, altitude e processamento desse café, no rótulo;

Café especial deve ter uma pontuação acima de 80 no método SCAA de avaliação;

Deve ser 100% arábica.

Segundo Bruna Mussolini, a espécie arábica requer um cuidado maior do que a espécie canephora. “Como o arábica precisa de mais altitude, o grão terá maior complexidade e isso já é uma característica bacana”, acrescenta.

A última sugestão de Bruna é sempre testar novas possibilidades, seja de grãos ou mesmo de características de torra.

“Tem gente que gosta de mais frutados, mais leves, mais encorpadas ou doces. Com o tempo você ganha memória olfativa e isso faz com que seu paladar fique mais aguçado e você, é claro, mais exigente”, finaliza.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide