AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 13/07/2018

O tabagismo é uma das principais causas de morte evitável no mundo, mas largar esse vício pode ser muito difícil.

Muitos pensam que as melhorias na saúde e no bem-estar demoram, porém os benefícios reais, ao largar o cigarro, são rápidos e bem perceptíveis.

Esses benefícios começam em menos de uma hora após o último cigarro e continuam a melhorar.

Aqui estão alguns pontos importantes sobre a cessação do tabagismo.

– Parar de fumar significa quebrar o ciclo da dependência e essencialmente recondicionar o cérebro para parar de desejar a nicotina.

– Para ser bem sucedido, o fumante que quer parar precisa ter um plano para vencer os desejos e gatilhos.

– Os benefícios de parar de fumar começam em menos de uma hora após o último cigarro.

– Quanto mais cedo se larga o cigarro, mais rapidamente se reduz o risco de câncer, doenças cardíacas, pulmonares e outras condições relacionadas ao tabagismo.

Linha do tempo:

Os benefícios são quase instantâneos; Assim que a pessoa para de fumar, o seu corpo começa a se recuperar das seguintes formas:

Após 1 hora:

Em menos de 20 minutos após o último cigarro ser fumado, o ritmo cardíaco diminui e volta ao normal. A pressão sanguínea começa a cair e a circulação pode começar a melhorar.

Após 12 horas:

Os cigarros contêm muitas toxinas conhecidas, incluindo o monóxido de carbono, um gás presente na fumaça do cigarro.

Este gás pode ser prejudicial ou fatal em altas doses e impede que o oxigênio entre nos pulmões e no sangue. Quando inalado em grandes doses em pouco tempo, a sufocação pode ocorrer por falta de oxigênio.

Depois de apenas 12 horas sem cigarro, o corpo se limpa do excesso de monóxido de carbono e aumenta os níveis de oxigênio.

Após 1 dia:

Apenas um dia após parar de fumar, o risco de ataque cardíaco começa a diminuir.

Fumar aumenta o risco de desenvolver doença cardíaca coronária e diminui o colesterol bom, o que torna o exercício saudável para o coração mais difícil de ser feito.

Fumar também aumenta a pressão arterial e o risco de acidente vascular cerebral.

Em apenas 1 dia após parar de fumar, a pressão arterial começa a diminuir, consequentemente diminuindo o risco de doença cardíaca devido à pressão alta induzida pelo fumo. Neste curto espaço de tempo, os níveis de oxigênio de uma pessoa terão aumentado, tornando a atividade física e o exercício mais fácil de ser feito.

Após 2 dias:

O fumo danifica as terminações nervosas responsáveis ​​pelos sentidos do olfato e do paladar. Em menos de 2 dias depois de parar, uma pessoa pode notar um olfato aguçado e gostos mais vivos à medida que esses nervos se curam.

Após 3 dias:

3 dias depois de parar de fumar, os níveis de nicotina no corpo de uma pessoa são esgotados. Embora seja mais saudável não ter nicotina no organismo, esse esgotamento inicial pode causar a abstinência de nicotina. Cerca de 3 dias depois de parar, a maioria das pessoas experimentará mau humor e irritabilidade, dores de cabeça severas e ânsias à medida que o corpo se reajusta.

Após 1 mês:

Em apenas 1 mês, a função pulmonar de uma pessoa começa a melhorar. À medida que os pulmões se curam e a capacidade pulmonar melhora, ex-fumantes podem notar menos tosse e falta de ar. Aumento da resistência atlética e maior facilidade em praticar atividades cardiovasculares, como correr e saltar.


Após 1-3 meses:

Nos próximos meses, a circulação continua a melhorar.

Após 9 meses:

Nove meses depois de parar, os pulmões se curam significativamente. As delicadas estruturas parecidas com pelos dentro dos pulmões, conhecidas como cílios, se recuperam dos danos que a fumaça do cigarro provocou. Essas estruturas ajudam a empurrar o muco para fora dos pulmões e ajudam a combater infecções.

Nessa época, muitos ex-fumantes notam uma diminuição na frequência de infecções pulmonares, porque os cílios curados podem realizar seu trabalho mais facilmente.

Após 1 ano:

Um ano depois de parar de fumar, o risco de doença cardíaca coronária diminui pela metade. Este risco continuará a cair após a marca de 1 ano.

Após 5 anos:

Os cigarros contêm muitas toxinas conhecidas que causam o estreitamento das artérias e vasos sanguíneos. Essas mesmas toxinas também aumentam a probabilidade de desenvolver coágulos sanguíneos.

Após 5 anos sem fumar, o corpo se curou o suficiente para que as artérias e os vasos sanguíneos voltem a se alargar. Esse alargamento significa que o sangue é menos propenso a coagular, diminuindo o risco de derrame.

O risco de derrame continuará a diminuir nos próximos 10 anos, à medida que o corpo se recupera cada vez mais.

Após 10 anos:

Depois de 10 anos, as chances de uma pessoa desenvolver câncer de pulmão e morrer dela são cortadas pela metade em comparação com alguém que continua fumando. A probabilidade de desenvolver câncer de boca, garganta ou pâncreas diminui significativamente.

Após 15 anos:

Após 15 anos sem fumar, a probabilidade de desenvolver doença coronariana é equivalente a de um não-fumante. Da mesma forma, o risco de desenvolver câncer de pâncreas reduz para o mesmo nível de uma pessoa que nunca fumou.

Após 20 anos:

Após 20 anos, o risco de morte por causas relacionadas ao tabagismo, incluindo doenças pulmonares e câncer, cai para o nível de uma pessoa que nunca fumou na vida.

Conclusão:

Fumar é um hábito prejudicial que pode levar a complicações graves de saúde e morte. Quando uma pessoa para de fumar, o corpo vai começar a se curar naturalmente e recuperar a vitalidade ao longo do tempo.

Alguns efeitos, como a diminuição da pressão arterial, são vistos quase que imediatamente. Outros efeitos, como os riscos de desenvolver câncer de pulmão, doenças cardíacas e doenças pulmonares, levam anos para cair para os níveis similares aos de um não-fumante.

No entanto, a cada hora, dia e ano que não se fuma, os riscos à sáude diminuem, resultando na melhora da mesma e em uma maior qualidade de vida.

Para de fumar agora e comece a perceber melhoras em apenas 20 minutos!

Para mais informações procure o seu médico.

Fonte:MedicalNewsToday.




Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide