AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 22/12/2017

Sabemos que os germes são moradores habituais de cartões, celulares, teclados e outros objetos cotidianos. Portanto, devemos limpá-los com certa frequência e usá-los com cuidado.

Muitos dos lugares onde se espera encontrar mais germes, como o assento do vaso sanitário, são mais limpos do que parecem, de acordo com o microbiologista Charles Gerba, da Universidade do Arizona, nos EUA. Isso ocorre porque muitas pessoas os limpam antes de usá-los - exatamente por acharem muito sujos.

Por outro lado, há objetos do nosso dia a dia que passam totalmente despercebidos.

A verdade é que, embora existam agentes patogênicos como o E. coli e salmonelas, potencialmente letais, felizmente a grande maioria das bactérias, vírus e outros micróbios com os quais nos encontramos todos os dias tendem a ser inofensivos para a nossa saúde, não espalhando infecções ou causando diarreia.

Em todo caso, confira alguns dos lugares que você talvez nunca tenha notado, mas são cheio de germes.

1. Botão do elevador

De acordo com Gerba, se você usa o transporte público, tem seis vezes mais chances de ficar doente do que se caminhar ou dirigir, já que acaba mantendo contato próximo com muitas pessoas - e seus correspondentes germes.

Botões dos elevadores podem conter muitas bactérias

Agora, pense nos botões de lugares públicos, que são apertados por todo mundo. Por exemplo, aquele que aciona o semáforo para pedestres, ou o que faz o ônibus parar no ponto.

OK, esses são até óbvios. Mas possivelmente você não tinha parado para pensar nos botões dos elevadores dos mais diversos lugares - de edifícios comerciais aos condomínios residenciais -, usados diariamente por diversas pessoas

2. Área de descanso do escritório

Segundo Gerba, que analisa germes há mais de 40 anos, o lugar que passa desapercebido nos escritórios é a sala de descanso, onde geralmente está a copa. E, especialmente, a alça da cafeteira.

De acordo com um estudo de 2012 da Universidade do Arizona, no qual Gerba colaborou, os maiores níveis de contaminação foram encontrados na torneira da pia e na alça da porta do forno de micro-ondas desses locais.

3. Menu do restaurante

É algo que quase todos os clientes tocam, mas geralmente não é limpo com a mesma frequência ou cuidado que outras instalações dos restaurantes.

Gerba e sua equipe encontraram uma média de 185 mil bactérias nos menus que analisaram em vários restaurantes em três Estados americanos.

De acordo com o microbiologista, provavelmente você encontrará cem vezes mais bactérias em um menu pegajoso do que em um assento de banheiro.

E já que estamos falando de restaurantes, cuidado com as cadeiras. Muitos garçons limpam as mesas, mas elas costumam ser esquecidas.

4. Malas, carteiras e bolsas

Além de a maioria das malas e bolsas não serem lavadas, as pessoas costumam usá-las por vários anos antes de jogar fora.

Esses objetos geralmente são deixados em ambientes cheios de bactérias, como mesas de cozinha, superfícies de banheiro e balcões de restaurantes fast-food.

Com isso, podem ser facilmente infectados e funcionar como veículos para transmissão de doenças de um lugar para outro.

Essa é a conclusão de um estudo científico realizado em 2015 e liderado pela cientista Susheela Biranjia-Hurdoyal, cuja equipe encontrou contaminação bacteriana em 95% das bolsas analisadas, tanto de homens quanto de mulheres, dos quais 26% apresentaram crescimento bacteriano moderado ou grande.

Os pesquisadores também concluíram que as bolsas sintéticas tinham uma maior contaminação bacteriana do que as de outros materiais, como couro ou tecido.

Gerba, por sua vez, pegou amostras do fundo das bolsas femininas e descobriu que aproximadamente um terço delas estava contaminado com material fecal, provavelmente porque tinham sido apoiadas no chão de banheiros públicos.

5. Barra do carrinho de compras

Em outro estudo, Gerba encontrou a Escherichia coli, mais conhecida como E. coli, na barra da metade dos carrinhos de compras que analisou, assim como outras bactérias.

A E. coli está associada ao material fecal de animais e seres humanos e pode causar infecções gastrointestinais graves.

De acordo com o especialista, muitos supermercados desinfetam regularmente os banheiros, mas não os carrinhos de compras.

Além disso, o microbiologista e sua equipe também encontraram colônias de E. coli em cerca de metade das sacolas de pano reutilizáveis que analisaram.

Assim como as roupas, é preciso lavá-las com frequência. Usar água sanitária ou um ciclo de água quente pode matar os germes, bem como colocá-las na secadora.




Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide