AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 30/08/2016

O sistema de prazo de validade de alimentos é confuso.

Para começo de conversa, há mais de uma data para tentar entender – “best by” (indica que o alimento será mais fresco se consumido até essa data, mas não estará necessariamente estragado depois dela),

“sell by” (indica o prazo em que o produto deve ser vendido pela loja).

E, em segundo lugar, essas datas em muitos casos estão totalmente equivocadas. Além disso, os consumidores não têm certeza de como interpretá-las, de modo que muitos alimentos ainda com boa qualidade são jogados no lixo devido a esses prazos.

Muitas vezes os prazos não passam de recomendações dos produtores sobre quando a qualidade do produto estará melhor, não de quando seu consumo passa a representar um risco à saúde.


Na realidade, alguns alimentos não estragam. Nunca. Isso mesmo: alguns alimentos podem ser conservados por tempo indeterminado, mesmo que haja uma data de validade impressa sobre suas embalagens.

Se você já se cansou de jogar fora comida que ainda está boa, é hora de saber quais são os alimentos que nunca estragam.

Há 11 deles; aprenda quais são e então guarde-os para sempre. Ou até o dia em que for comê-los.


1. Mel

O mel pode ser conservado por tempo indeterminado. Ele pode mudar de cor e se cristalizar, mas ainda poderá ser comido sem problema algum. Se o seu mel ficar cristalizado, coloque o vidro aberto numa panela de água quente e mexa-o até os cristais se dissolverem.

2. Arroz

Mesmo que a embalagem do arroz ficar coberta de pó, o arroz que está lá dentro estará tão bom quanto no dia em que você o comprou. Isso se aplica ao arroz branco, selvagem, arbório, jasmine e basmati. O arroz integral não tem a mesma sorte: devido a seu teor mais alto de gordura, pode ficar rançoso. Para garantir a qualidade de seu arroz, basta guardá-lo num recipiente bem fechado, no qual não penetre ar, para não permitir a entrada de carunchos.

3. Vinagre branco

Pode comprar vinagre branco em embalagem de atacado sem se preocupar: não será preciso jogá-lo fora. Ele nunca se estragará, porque fica fresco para sempre. Portanto, vale fazer um estoque do produto. Assim você sempre poderá recorrer a ele para fazer molhos de salada, marinadas e até mesmo para uso na limpeza doméstica.



4. Legítimo extrato de baunilha

Como é feito de álcool, o extrato puro de baunilha permanece fresco e saboroso pelo tempo que você o tiver em sua despensa. A baunilha de imitação não possui a mesma duração. Pensando nisso, pode valer a pena optar pela baunilha um pouco mais cara, sem prazo de validade.

5. Sal

Sal de cozinha, sal kosher ou sal marinho conservam ao longo de anos a mesma qualidade que tinham no dia em que você os comprou.

6. Amido de milho (Maizena)

Para conservar amido de milho por tempo indeterminado, conserve-o bem seco, em recipiente bem fechado e num lugar de temperatura amena. Considerando que dificilmente você acabará com um recipiente grande de amido de milho em pouco tempo, é bom saber que não precisará repor seu estoque – nunca.



7. Açúcar

No caso do açúcar, o problema não é conservá-lo fresco, mas impedir que endureça e vire uma pedra. O açúcar nunca estraga porque não é um ambiente que propicia crescimento bacteriano. Apenas se certifique de guardá-lo num recipiente bem fechado, para protegê-lo de bichinhos e umidade.

8. Bebidas alcoólicas fortes

Não é preciso se apressar para acabar com aquela garrafa de 1,5 litro de rum: as bebidas alcoólicas fortes se conservam bem em lugares escuros e frios, por mais tempo que o necessário. Seu bar pode até ser um objeto que passa de geração para geração. A bebida pode perder um pouquinho de seu aroma, mas não a ponto de isso ser perceptível.


9. Feijão cru

O feijão cru conserva sua qualidade por tempo indeterminado. Depois de um ano, mais ou menos, ele demora mais para amolecer quando é cozido – e às vezes não chegará a amolecer por completo --, mas não perde seu valor nutricional com a idade, de modo que seu prazo de validade é classificado como indeterminado.

10. Café solúvel
O café solúvel pode ser guardado no freezer para sempre, quer a embalagem já tenha sido aberta ou não.

11. Xarope de bordo

Como o café solúvel, se você o guardar congelado ele ficará bom para sempre. E a gente acha que você deve sempre guardar um pouco de xarope de bordo em seu congelador, para que nunca mais seja obrigado a comer panquecas sem essa delícia em cima.


Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide