AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 02/06/2019

Este é um discurso de graduação que fiz na Woodside Priory. Talvez você, ou alguém que você conheça, possa achá-lo valioso.

Quantos posts de blogs podem te explicar como evitar falhas pelo resto da sua vida?

Discurso

Discursar numa cerimônia de graduação é o ápice da carreira de alguém. É uma verdadeira honra e algo que você não pode comprar. É por isso que você não vê investidores de risco dando esses discursos... Mas voltando ao assunto. Obrigado por me escolherem.

Estas são algumas pessoas que discursaram nos últimos anos em graduações: Elizabeth Warren, Joe Biden, Steven Spielberg, Oprah Winfrey, Sheryl Sandberg, Seth Meyers, Spike Lee.

Barack Obama fez um discurso na Rutgers. Se você teve mais sorte, viu Michelle Obama na Jackson State -- sempre há uma mulher incrível ao lado de um homem bem-sucedido!

Já estamos na reta final da temporada de formaturas, e muitas coisas sábias, trivialidades e verdades óbvias foram ditas. Trabalho duro. Honestidade. Desafiar o status quo. Cumprir a responsabilidade social. Lutar contra a mudança climática.

Já vimos, já ouvimos.

Isso implica em um desafio grande. O que posso dizer para vocês que ainda não foi dito? O que faço em 10 minutos? O que posso falar para causar impacto nas vidas de vocês?

Esses são os tipos de objetivo que você deve estabelecer para si mesmo quando aceita a honra de discursar numa cerimônia de graduação. Serei breve porque muitos de vocês estão usando iPhones e a bateria deve estar quase morrendo.

Vou dizer agora o que ninguém que discursou este ano disse. Talvez ninguém na história dos discursos de graduação tenha dito.

Prontos?

Vou explicar como nunca falhar. Falhar, a outra palavra com F. A palavra com F que é provavelmente mais perturbadora para vocês e suas famílias do que a outra, profana.

Sim, isso mesmo: como nunca falhar. A maioria das pessoas pensa que o oposto do sucesso é a falha. Elas estão erradas. No mundo real, o oposto do sucesso não é a falha, é o aprendizado.

Não importa o que forem estudar, fazer ou tentar pelo resto de suas vidas, quero que corram atrás de apenas dois resultados possíveis: sucesso ou aprendizado.

A falha, como diz o ditado, não é uma opção. Falhar está fora de questão. Desde que se lembrem disso, nunca falharão.

Falhas só acontecem se você não estiver aprendendo. Vamos usar uma analogia esportiva. Suponha que seu time perdeu um jogo, mas aprendeu a jogar melhor para a partida seguinte. Então não foi uma falha de verdade. Se ele não tivesse aprendido a jogar melhor, aí é que seria uma falha real.

Ou nos negócios: nossos amigos em Cupertino dão um bom exemplo do oposto do sucesso.

Lisa. Lisa foi o primeiro computador da Apple com gráficos e ícones para uso comercial. Apresentado em 1983. Steve Jobs foi expulso da seção responsável pelo Lisa em 1982. Ele nunca alcançou sucesso de público, mas as lições aprendidas sobre a interface do usuário e o conceito “o que você vê é o que você obtém” vivem até hoje no Macintosh.

NeXT Computer. O projeto seguinte de Jobs. Lançado em 1988. Ele deveria ser chamado “Never” (palavra em inglês que significa “nunca”) em vez de “NeXT” (que significa “próximo”) porque também nunca alcançou sucesso de público. A Apple comprou o projeto do NeXT em 1997 e seu software se tornou a base do OS X.
Newton.

O Newton foi a primeira tentativa de um assistente pessoal digital (“PDA”, na sigla em inglês) da Apple. Nascido em 1993. Morto em 1998. Ele não fez sucesso, mas criou uma consciência dentro da empresa que levou à criação do iPod, que, por sua vez, levou ao iPhone, que levou ao iPad, que então levou à dominação mundial.

No meio acadêmico, existem dois tipos de pessoas. Digamos que você é do tipo excepcional. Com uma média sem precedentes no vestibular. Suas opções são Stanford, Dartmouth e Yale, mas Facebook e o Google querem que você pule a faculdade e vá trabalhar para eles. No entanto, pelo fato de você ser tão bom em certas coisas, você não sai da sua zona de conforto. Não tenta novas atividades. Não se expõe porque não quer arriscar seu histórico “perfeito” nem sua imagem.

Você evita desafios. Não se esforça tanto. Só faz o que vem fácil. Define a si mesmo como “inteligente” e não “esforçado”. Você pensa que a sua “inteligência”, embora seja alta, é fixa. O que o leva a parar de aprender e crescer. Isso é o fracasso!

Mas suponhamos que você não é um desses excepcionais. Deus que lhe ajude, você não começou aulas de violino aos dois anos de idade, não construiu uma escola na América do Sul, não abriu uma ONG e nem ganhou um concurso de soletrar.

Fracasso também é quando você não vai além e não se arrisca. Não porque tem medo de sujar seu histórico, mas porque acha que não terá sucesso. O seu mundo é visto de maneira limitada e o seu potencial é restringido.

O que é frustrante, porque representa perda e desperdício de potencial. Peço a vocês que lembrem de algo durante suas vidas: sempre estejam aprendendo. Procurem crescer sempre. Educação é um processo, não um evento. É uma maratona, não um sprint. É um estilo de vida, e não um exercício.

Construam um muro ao redor do fracasso e o mantenha fora da sua vida -- alguém deveria avisar a Donald Trump que esse é o único muro apropriado para se construir. Se você quer aprender mais sobre esse assunto, procure por “Carol Dweck” no Google e leia sobre o que ela chama de “growth mindset”.

Agora peguem seus celulares e abram o Snapchat. Em menos de dez segundos vou repetir essa mensagem para que vocês possam enviá-la aos outros.

Comecem. Vou esperar.

Prontos?

O oposto do sucesso não é o fracasso. É o aprendizado. Desde que você aprenda, você não está falhando. É assim que se evita falhas pelo resto da vida.

Eu gosto de vocês, pessoal, então vou dar mais um conselho. Nenhum outro orador falou isso. Aqui está:

Se aproveitem dos seus pais o máximo que puderem.

Não postem isso porque meus filhos podem ver!

Seus pais e avós devem ter trabalhado muito para dar uma boa educação a vocês. Não privem suas famílias de verem vocês aproveitando isso ao máximo.

Tirem um tempo livre. Viajem. Vivam fora do Vale. Fora do país. Longe de suas zonas de conforto. Este mundo é gigante. Não conheço ninguém que diga, “eu deveria ter começado a trabalhar mais cedo”.

Ao longo de suas jornadas, vocês serão pessoas melhores graças a essas experiências.

Parabéns a todos vocês: estudantes, pais, irmãos, família, professores e administradores.

Vocês fizeram por merecer.

Tenham uma vida longa e próspera.

E lembrem do principal: o oposto do sucesso não é o fracasso, é o aprendizado… de preferência na conta dos seus pais!

Quantos de vocês viram o jantar com os correspondentes da Casa Branca? Isso aqui é inspirado por Barack Obama. Tenho apenas mais duas palavras para dizer, “Kawasaki está fora”. (Deixei o microfone nesse ponto).

(Guy Kawasaki)
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide