AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 10/04/2019

Existem duas situações no universo dos negócios em que você esteja sendo chefiado por sua mãe. Uma delas é quando você trabalha em uma empresa e está sob a chefia de sua mãe. Isso não é usual, pois a maioria das empresas evita ou mesmo coíbe esse tipo de relação.

Outra situação é a da empresa familiar, onde eventualmente sua mãe é um dos sócios e exerce uma posição de chefia sobre você. Essa situação é mais comum e é sobre ela que vamos falar.

Ser filho de um dos sócios do empreendimento pode ser uma vantagem para o seu futuro profissional, uma vez que haverá naturalmente a questão de sucessão. Outro aspecto a ser considerado é o do relacionamento pessoal, que envolve a questão da confiança mútua.

Entretanto, alguns problemas podem surgir para você e para o negócio quando essa situação de subordinação a um dos sócios ocorre. O mais comum refere-se ao fator dinheiro, quando não se consegue separar o que é da empresa do que é da família.

Outro aspecto que pode se tornar ameaça tanto ao negócio quanto à relação familiar é a diferença de perfil empreendedor de cada parte.

Se você não traçou seu plano de vida profissional, é possível que você esteja no plano de outra pessoa, no caso, no plano que sua mãe preparou para você. Se esse plano está de acordo com sua perspectiva de futuro, tudo bem. Mas se esse plano diverge dos seus interesses e sonhos, será necessária muita argumentação para contornar a situação.

Ainda dentro desse foco, imagina se suas ideias inovadoras para o negócio encontram resistência do outro lado e sua mãe se coloca resistente a essas ideias. Haverá necessidade de um trabalho de sensibilização para que se encontre o consenso das partes, tanto para inovar quanto para permanecer no status atual. Nesse caso, o ideal é que se busque a mediação de uma terceira pessoa, que não esteja comprometida por pertencer à família ou ao negócio.

O empreendedorismo nas empresas familiares normalmente surge do desejo da família em ter um negócio em que os seus membros possam trabalhar e contribuir para o sucesso do empreendimento e envolve uma conjunção dos interesses individuais dos membros da família e das características do ambiente empresarial.

Lidar com essa situação exige das partes um equilíbrio emocional e a capacidade de separar as relações profissionais das pessoais. Isso requer muita maturidade e bom senso e tem sido o maior obstáculo para o sucesso de empresas com estrutura familiar.

A questão é conseguir balancear os interesses da família com os do negócio. Conseguindo isso, o sucesso do empreendimento e a estabilidade familiar podem ser alcançados.

Concluindo, posso acrescentar que o sucesso de um empreendimento com características de empresa familiar, onde o filho é chefiado pela mãe está condicionado à capacidade que ambos têm de separar no ato de gerir a empresa os aspectos emocionais dos racionais, evitando que os laços afetivos, a postura de autoritarismo e as atitudes de ¨maternalismo¨ influenciem comportamentos, relacionamentos e decisões da empresa.

(Sergio Dias)
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide