AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 25/02/2019

"O vocabulário do carnaval vai muito além dos termos “fantasia”, “alegria” e “samba no pé”. Cada pessoa envolvida nos ensaios para a festa, no desfile e até nos bastidores da folia possui uma designação específica, e já se tornou comum ouvir os envolvidos apresentarem alguém como carnavalesco, passista ou mestre-sala, por exemplo.

O “idioma” diferenciado também abrange períodos específicos do evento, detalhes da decoração e os requisitos avaliados pelos jurados na avenida. Mas, calma! Para ajudar você a traduzir a linguagem do carnaval, o Viver Bem preparou um dicionário com as principais palavras usadas na folia. Vamos lá!

Adereço – Todos os cenários que aparecem no chão, ou seja, que não estão nos carros alegóricos do desfile. Eles são colocados na cabeça e nas mãos dos integrantes da escola e samba.


Cenários que aparecem no chão durante o desfile, usados na cabeça e nas mãos dos integrantes da escola de samba, são chamados de adereços. Foto: Pixabay

Alegoria – Cenários organizados em cima dos carros alegóricos.

Bateria – Nome dado ao conjunto de instrumentos e instrumentistas que dão cadência e ritmo aos passistas, foliões e integrantes de acordo com o samba-enredo escolhido pela escola de samba. Conta com instrumentos como do surdo, tamborim, prato, repique, chocalho, caixa de guerra, cuíca, agogô, reco-reco, pandeiro e triângulo.

Carnavalesco – Pessoa que planeja e executa os desfiles da escola de samba e outras atividades relacionadas ao carnaval.

Carro alegórico – Espaço utilizado para transportar e apresentar a alegoria. Ele é construído com um chassi de caminhão e possui estrutura reforçada com vigas e colunas de aço. É coberto por um tablado de madeira e empurrado pelos componentes da escola de samba.

Casal de mestre-sala e porta-bandeira – Dançarinos que têm a responsabilidade de conduzir e apresentar a bandeira da escola ao longo do desfile. Tradicionalmente, eles vestem roupas luxuosas com as cores da escola e a temática do enredo apresentado.

Concentração – Também conhecido como “esquenta”, ocorre antes do desfile começar, quando todos os componentes ficam mobilizados, esperando a vez de entrar na pista do desfile. Nesse momento, os dirigentes da escola desejam sorte aos participantes da comunidade e a bateria começa a tocar.

Conjunto – Quesito avaliado pelos jurados que abrange a forma geral como a escola se apresenta, incluindo música, dramaticidade, visual, coreografia, arte e beleza.


A forma geral como a escola se apresenta, incluindo música, dramaticidade, visual, coreografia, arte e beleza é chamada de “conjunto”. Foto: Reprodução/Facebook

Comissão de frente – Grupo de dez a quinze pessoas que se apresenta no desfile dando boas vindas ao público e aos jurados. Os integrantes demonstram o enredo da escola e, antigamente, carregavam bastões para representar que estavam armados e prontos para proteger a agremiação.

Convenção – Momentos em que a bateria para ou faz um acompanhamento distinto com um ou mais instrumentos, neste momento ela está fazendo uma convenção. convenção é um determinado arranjo combinado previamente e executado no acompanhamento do samba sem mudar o andamento do mesmo. Sempre será uma convenção, o acordo do mestre com seus (ritmistas) batuqueiros.

Enredo – Baseada no tema do desfile, é uma sinopse que guiará a fabricação das fantasias, alegorias e a composição do samba-enredo.

Evolução – Quesito avaliado pelos jurados a respeito da velocidade e a forma como os componentes da escola de samba desfilam. É necessário dançar com ânimo, muito movimento, na mesma cadência da bateria e de modo compacto, próximos uns aos outros.

Escola de Samba – Agremiação caracterizada pelo canto e dança do samba, quase sempre com intuito competitivo.

Harmonia – Quesito avaliado pelos jurados a respeito do ritmo e do canto do samba de enredo. Os integrantes da escola precisam entoar o samba no mesmo tempo que a voz principal e no mesmo compasso da bateria.

Mestre-sala – Acompanha a porta-bandeira na condução e apresentação da bandeira da escola. Originalmente, ele também tinha a função de proteger a porta-bandeira, pois as agremiações rivais costumavam roubar a bandeira da concorrente.

Passistas – Moças e rapazes da escola que trazem o samba-no-pé com alegria e descontração. Eles brincam na avenida e também incentivam o canto, empolgando os outros componentes do desfile. Para as meninas, ser passista é o primeiro passo para se tornar uma Rainha de Bateria.

Porta-bandeira – Com roupas luxuosas que apresentam as cores da escola, ela conduz a bandeira da agremiação acompanhada pelo mestre-sala.


Inúmeros quesitos como conjunto e harmonia são avaliados pelos jurados durante o desfile. Foto: Pixabay

Quesitos – Elementos que fazem parte da caracterização do desfile de uma escola de samba e que recebem notas dos jurados.

Rainha da Bateria – Dançarina que desfila em frente à bateria para levar mais animação aos instrumentistas, puxar o samba e não deixar o ritmo cair.

Riscar o chão – Termo utilizado quando um dançarino samba muito bem e com elegância.

Samba-enredo – É um sub-gênero do samba moderno feito especificamente para o desfile de uma escola de samba. Costuma ser escolhido após um concurso interno promovido pelas escolas e embala a agremiação durante a fase de preparação, ensaios técnicos e o desfile de carnaval."


AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide