AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 04/11/2018

"O horário de verão teve início na primeira hora deste domingo (04) e os brasileiros de dez estados, mais o Distrito Federal, deverão adiantar o relógio em uma hora. Isso significa acordar e começar o dia uma hora antes daquela que o organismo está acostumado, o que pode gerar mais do que sonolência e confusão.

Confira tudo que você pode sentir com a mudança para o horário de verão: 

Sono

Como você estará despertando uma hora antes pelos próximos quatro meses, o ideal seria adaptar o organismo a se acostumar com a madrugada, acordando mais cedo nos dias que antecedem a mudança.

A medida, porém, nem sempre é possível, visto que a rotina corrida de muitas pessoas impedem qualquer mudança brusca nos horários. Mas, se você puder fazer uma transição nos dias anteriores, aproveite.


Não se esqueça que induzir o sono é importante para uma boa noite. Para tanto, prepare seu quarto de forma a favorecer que o sono chegue mesmo uma hora antes do previsto.

Faça uma “limpeza do sono” deixando o ambiente escuro e silencioso, em uma temperatura nem muito quente, nem muito fria, e retire celulares e outros aparelhos eletrônicos que possam atrapalhar.

Mesmo com as mudanças, é possível que você sinta sonolência durante o dia, dores de cabeça, náusea, irritabilidade, redução na produtividade no trabalho e aumento da sensação de fome. A tendência é que esses sintomas permaneçam na primeira semana e depois diminuam.

Fome

Além de acordar uma hora antes, a mudança no horário de verão vai exigir que você se alimente antes também — às vezes em momentos que você nem está com fome.

Com isso, quando chegar em casa à noite, pode ser que a última refeição não satisfaça o organismo, que exigirá mais uma ceia. A tendência é que, então, a pessoa coma mais e isso afete o peso.

Para evitar essa confusão, o ideal é que a pessoa se alimente de acordo com o horário de verão, mesmo que ainda não sinta fome. Se, mesmo mantendo os horários, sentir fome entre as refeições, escolha alimentos mais leves.

Antes de dormir, por exemplo, tomar um chá ou um copo de água gelada podem ajudar, visto que o organismo às vezes está com sede e não fome. Se for fome mesmo, escolha uma fruta, como pera ou mamão.

Até se acostumar com o novo horário, evite alimentos como energéticos e cafés ou outros com cafeína, para que o sono venha com mais facilidade.

Coração em risco

Nem sempre as pessoas se lembram, mas a privação do sono também aumenta o risco de doenças cardiovasculares importantes, como hipertensão e infarto.

Portanto, para que o risco diminua e a transição seja mais tranquila, favoreça o sono da noite e não deixe que a sonolência durante o dia se transforme em um cochilo. Isso porque os cochilos ao longo do dia podem prejudicar o sono do período da noite.

Cuidado com os acidentes 

A sonolência durante o dia também pode predispor a acidentes, sejam no trabalho ou no trânsito. Fique atento se durante o dia sentir dores de cabeça, náuseas, irritabilidade e redução na produtividade no ambiente de trabalho."

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide