AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 23/06/2018

As mudanças têm sido tão intensas no mercado do trabalho que é provável que as crianças que ingressam hoje na escola trabalhem em uma profissão que você nunca ouviu falar.

Esta é uma das previsões do Fórum Econômico Mundial, no relatório Futuro do Trabalho: 65% das crianças que estão começando o primário devem trabalhar em empregos que ainda não existem.

Em 15 países avaliados pela pesquisa, até 2020 o número de empregos perdidos devido a avanços tecnológicos e a fatores socioeconômicos pode chegar a 7,1 milhões – e não são apenas “trabalhos braçais”. "É preciso gerenciar as transições de curto prazo e desenvolver uma força de trabalho com habilidades profissionais modernas", alerta Klaus Schwab, presidente executivo do Fórum Econômico Mundial.

Para Luis Rasquilha, presidente e CEO da empresa Inova Consulting, as profissões do futuro estão agrupadas em três grandes áreas: clássicas — ocupações que existem hoje, mas que necessitam de adaptação a um novo mundo de mais tecnologia e inovação; tecnológicas — ligadas aos temas de programação e construção de um mundo mais conectado; e as emergentes — que nascem de oportunidades criadas com o crescimento desse mundo conectado de sistemas inteligentes.

Em qualquer caso, destaca Raquilha, os profissionais deverão ser “multipotenciais”. Ou seja: saber realizar múltiplas funções e adaptar-se para suprir as demandas do mercado de trabalho.

Formado em Administração de Empresas, Paulo Exel possui MBA executivo em Gestão de Negócios e tem certificação em coaching.

Para ele, quando pensamos em futuro do trabalho é preciso levar em conta que as atividades relacionadas à tecnologia e ao mundo digital terão grande impacto no que diz respeito a novas profissões. "Novas e mais funções poderão surgir a partir de cientistas ou engenheiros de dados, especialistas em cloud computing, designer de realidade aumentada, entre outros. Uma dica para os profissionais é buscar atualização constante, acompanhar as tendências e desenvolver habilidades que vão além da competência técnica de suas profissões."

Elatia Abate passou meses viajando para pesquisar o futuro e ela não acredita que os novos tempos serão tão assustadores.

Basta que as pessoas se preparem para mudanças em curso. “Teremos que redefinir o que é sucesso e trabalho. E teremos que mudar o jeito de pensar para deixar de associar mudança a algo ruim. Mudança pode significar acesso a oportunidades únicas”, disse ela, em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

Elatia trabalhou com recursos humanos em grandes empresas ao redor do mundo (inclusive no Brasil, onde aprendeu a falar português fluentemente) e como coaching profissional. Durante esse tempo ela observou um fenômeno interessante: depois de anos lutando para crescerem na carreira, muitos profissionais que alcançam altos cargos em empresas tornam-se absolutamente infelizes.

Este é um dos cuidados iniciais ao optar por uma profissão (seja hoje ou no futuro): defina claramente qual o seu conceito de sucesso e qual a sua meta de realização profissional. Diante de um mercado com tantas exigências, não fará sentido você ultrapassar várias barreiras, para, ao fim do percurso, descobrir que sua felicidade estava em uma área diferente daquela que você imaginava.

( Francisco Alves Filho)
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide