AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 11/04/2018

Pouca gente percebe quando comete uma gafe e depois se lamenta e sofre para administrar os prejuízos. Isso pode acontecer em uma apresentação em público, entrevistas à imprensa ou no relacionamento com qualquer pessoa e em qualquer situação do dia a dia.

Para se manter perceptivo é preciso se conhecer e ter clareza sobre os impactos da fala. É muito comum ouvir gente dizendo: ‘quando eu vi, eu já tinha dito aquilo’ ou ‘nem percebi que falei’. O risco de dizer o que não devia vai desde a má interpretação por quem se sentiu atingido pela fala até a punição financeira, moral e social.

Confira 9 alertas para evitar a exposição social indevida quando se comunica:

Seja coerente e só diga o que puder sustentar. Não adianta tentar fazer um ‘papel bonito’ só para parecer alguém que não é e depois dar um tiro no pé quando confessa a verdade, sem querer;

Seja honesto consigo mesmo e com seu público. Se você conseguiu mentir antes e a mentira ‘colou’ vai ser um desafio manter a máscara por muito tempo;

Pratique a humildade e evite fazer comparações ou ameaças que enaltecem você em detrimento de outro. Para ser destaque, você não precisa colocar o outro em segundo plano;

Diga não ao preconceito, mas para isso acontecer é preciso rever suas crenças e analisar se pretende mesmo continuar praticando atitudes discriminatórias perante pessoas, sentimentos e tendências de comportamento ou se deseja se tornar uma pessoa melhor eliminado de vez a distinção entre os seres humanos;

Tenha senso de justiça e observe imparcialmente as situações que acontecem dentro e fora de você. Absorvido pelo calor da paixão, evite tomar decisões ou fazer afirmativas cheias de convicção. Talvez você se arrependa depois;

Pratique a empatia, a virtude máxima para a boa comunicação. Sem entender a realidade do outro, há o risco de fazer piada, com o recurso do preconceito, para subestimar pessoas que você não conhece. O uso da ironia é muito perigoso, afinal o que é engraçado para você pode ser ofensivo para o outro;

Seja específico e pratique a clareza em suas falas para não cometer a injustiça da generalização. 'Todo brasileiro é corrupto', 'quem nasceu em determinada região não gosta de trabalhar' ou 'a mulher que usa roupa decotada não é flor que se cheire' são expressões que mostram ignorância (falta de conhecimento), preconceito e pouca preocupação com a imagem do outro e de si mesmo;

Esteja comprometido com a sua liderança. Seja na empresa, na universidade, num partido político ou nas redes sociais, um líder serve de exemplo para os seguidores, portanto, cuidado com o que diz, porque você está sendo observado. Se houver a perfeita noção das consequências de suas palavras poderá promover a transformação social de maneira saudável, mas se usar isso de forma irresponsável, o prejuízo poderá ser fatal;

Seja leal aos seus princípios. Mas, se você não sabe a razão de sua existência e, portanto, tanto faz o que fizer ou deixar de fazer, terá dificuldades de se manter firme na sua trajetória. Essa é a base para a prática de todos os outros lembretes citados até agora.

Perceba que as palavras em destaque em cada um 7 itens são VIRTUDES, práticas do bem que, se praticadas com disciplina (mais uma virtude,) podem trazer resultados valiosos. Fique atento, acordado, esteja perceptivo e molde sua comunicação pelo comportamento adequado ao que é confortável para você e à sociedade

Aurea Regina de Sá.
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide