AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Últimas Notícias


Publicado em: 03/12/2017

Torções, distensões musculares e lesões no tornozelo e joelho são problemas que pessoas que costumam jogar aquele tradicional futebol com os amigos já vivenciaram ou, pelo menos, presenciaram. Mas esse hobby não precisa (e nem deve) ser sinônimo de lesão.

Lesão no futebol com os amigos pode ser evitada com treinos regulares para a atividade e alimentação adequada

Se a lesão no futebol com os amigos ou na pelada de final de semana é algo recorrente na sua vida, pode ser sinal de que você não está preparado para a atividade. O professor Jose Alberto Aguilar Cortez, doutorado em Biodinâmica do Movimento Humano pela Escola de Educação Física e Esporte da USP (Universidade de São Paulo), explica que o maior problema é que quem joga sempre apenas uma vez por semana acredita estar apto a uma atividade intensa e de impacto como o futebol, quando na verdade não está.

O especialista explica que estes jogadores são os mais imprudentes, já que se envolvem em jogadas mais perigos e ficam mais tempo em campo quando, o certo, seria pegar mais leve. “É diferente quando o homem não joga toda a semana. Ele entra com mais cuidado, para quando está cansado e não disputa toda as jogadas.”

Como se preparar

Dizer para alguém que gosta de jogar futebol que é preciso pegar mais leve em cada jogada é quase uma piada. Sendo assim, é preciso se preocupar com os dias anteriores ao jogo para evitar uma lesão quando for o momento de entrar em campo.

“Existem pessoas que não fazem nenhum tipo de preparação e vão para o fim de semana de maneira competitiva, achando que estão em forma. Alguns até fazem alguma atividade física, mas de forma totalmente diferenciada do futebol. A modalidade tem características próprias, muita arrancada, mudança de direção, choque, então o treino tem de ser pensando no futebol”, explica Cortez.

Se matricular em uma academia com musculação é uma boa ideia para conseguir o condicionamento necessário para o futebol com os amigos. Parece exagero ter de treinar para um jogo que “não vale nada”, mas, no fundo, você sabe não vai evitar uma disputa de bola só por causa disso.

E na hora de procurar ajuda especializada, não adianta qualquer treino. Você deve avisar que o objetivo é o jogo de futebol, para que possa treinar os músculos corretos e trabalhar o condicionamento físico também da forma correta. Por exemplo, não adianta você conseguir correr longas distâncias e por um longo período se o que você precisa mesmo é focar nas arrancadas e alternâncias de direção, duas habilidades muito pedidas no futebol.

“Primeiro de tudo, deve ser feita uma avaliação física para saber se a pessoa esta capacitada ou precisa melhorar o condicionamento. Só quando o condicionamento físico estiver em um nível bom é que poderá ser feito o treino focado no futebol.”

Caso você ainda não esteja preparado, terá que começar com um treino básico, com alguns exercícios aeróbicos, alongamento, aquecimento e a parte muscular. Já quando o treino é focado no futebol, o mais importante é esteira. O ritmo é intervalado, com mais e menos intensidade, reproduzindo a corrida do futebol.

Cortez recomenda que o treino seja feito pelo menos três vezes por semana, mas explica que algumas pessoas vão precisar de mais dias, como no caso de quem esta acima do peso. Como no futebol há muito impacto, estar com alguns quilos a mais pode fazer uma enorme diferença para o corpo.

Limites

Tomar cuidado com as jogadas é importante, mas como não adianta pedir para pegar leve, é necessário estar preparado

É importante reconhecer os nosso limites para que problemas muito maiores que uma simples lesão ocorram. Só este ano, Cortez presenciou dois eventos no clube em que jogadores tiveram problemas cardíacos durante uma partida de futebol. Neste caso, uma disputa de bola pode ter consequências graves e irreversíveis.

Além de iniciar um treino focado no futebol, a pessoa também deve ficar atenta às condições climáticas do dia. Se estiver muito quente, o calor aumenta a frequência cardíaca, e isso pode provocar uma arritmia cardíaca, quando a frequência das batidas do coração se alteram.

O estilo de vida também conta. Se no dia anterior ao jogo a pessoa não dormiu bem ou consumiu álcool, isso também vai interferir. Como o especialista alerta, é uma junção de fatores que vai determinar se pessoa está bem ou não para jogar.

“Hoje, o número de fumantes já diminuiu bem no País, mas há ainda algumas pessoas que, enquanto estão fora do jogo, descansando, aproveitam esse tempo para fumar. Ao invés de entrar oxigênio no organismo, está entrando monóxido de carbono [que é tóxico].”

Cuidados

O alongamento e o aquecimento também são importantes na hora de evitar uma lesão. O problema, alerta Cortez, é que muita gente faz isso de forma errada. O principal erro é aquecer batendo a bola. É a pior maneira, de acordo com o especialista, já que o chute é uma ação de impacto. Esse simples habito pode causar muitas distorções. O melhor é iniciar com um trote para elevar a frequência cardíaca.

Outros erros podem ser vistos na hora do alongamento. Aqui, o foco são os músculos da perna. Não adianta muito ficar trabalhando os do braço, por exemplo, já que eles não serão usados.

O pós também é importante. Nada de parar a atividade de uma vez. Quando o jogo acabar, e você ainda estiver com a respiração ofegante, não pare de uma vez. O melhor é continuar caminhando até a frequência cardíaca baixar. Só depois que a respiração estiver controlada o banho está liberado.

E atenção, muitos jogos são seguidos de churrasco e cerveja, mas é muito importante se hidratar antes de ingerir o álcool, que também desidrata o corpo. Antes de partir para a cerveja, é importante não se esquecer de tomar água.

Para completar as dicas de como evitar uma lesão, o professor alerta para a importância dos equipamentos corretos. A chuteira deve ser adequada para o tipo de piso – há chuteiras específicas para o society, para a grama e o salão, por exemplo.

Já dependendo do material da camisa, como no caso de fibra sintética, não há troca de calor com o ambiente, então a sobrecarga no organismo é muito maior. Além disso, o bom senso é fundamental. Não fique no campo se arrastando e esgotado, com certeza vai ter gente no banco querendo jogar.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide