AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


Revista O Empresário / Número 118 · Abril de 2008



A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: “Nós somos a soma das nossas decisões”.

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção, estamos descartando outra, e, de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar “minha vida”.

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura.

No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem e com laços.

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas. Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Assim é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos.

Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho – ninguém é o mesmo para sempre. Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto.

Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua...

Pedro Bial
Administração & Política
» Eleição AEC/CDL
» Cuidado com os ladrões
» Sincatos vencem com luta
» Seu lucro corre perigo
» Exemplo
» Planeje para crescer
Colaboradores
» O profundo amor de Deus por mim
Comportamento
» As escolhas de uma vida
» Dez pedidos de um cão
» A conta corrente da saúde
» A pipoca e você
» O estilo de vida define a sua saúde
Comunicação & Internet
» Nunca abra estes e-mails
» Aprenda a colocar vídeos no You Tube
» Oráculo dos internautas
» Receita Federal ajuda os contadores
Empreendedorismo
» Quem trablha na sua empresa
» Acredite se quiser
» Conselheiras
» Cuidado com as dívidas
Finanças
» Classe média se endivida no cartão
» Governo quer atrasar devolução
» Até que as dívidas os separem
Humor & Curiosidades
» Ditados
» Mensagens nas lápides
» Politicamente correto
» Diálogos premiados
Jurisprudência & Segurança
» Viagem segura
» Um juiz não foge à luta
» Casamento só com separação de bens depois dos 70 anos
» Sufoco
Mercado de Trabalho & Educação
» Só 6 meses de experiência
» Você está despedido
» Recolocação vs. Negócio próprio
Rapidinhas do Leôncio
» Notas de abril
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide