AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva


Revista O Empresário / Número 118 · Abril de 2008



A pedido da Procter & Gamble, a Fundação Getúlio Vargas fez uma pesquisa com trinta ladrões que já agiram em supermercados brasileiros. Mais do que obter uma imagem fidedigna de quem rouba - a amostra não é estatisticamente representiva - a intenção foi entrevistar alguns deles e investigar suas atitudes e comportamento.
Produtos em locais bastante visíveis e câmaras de circuito interno costumam ser inibidores, mas não chegam a impedir um roubo. Segundo os infratores, a loja não pode estar nem muito cheia - a ponto de um cliente poder vê-lo em ação - nem muito vazia, para evitar a atenção dos seguranças. Eles são como clientes normais, andam com carrinhos ou cestas, mas assim que entram na loja procuram mapear a posição dos seguranças.

Para despistar, antes de chegar à seção desejada, checam preços e olham rótulos. Verificam a posição das câmeras e dos guardas antes de agir - o que acontece sempre de forma muito rápida- e dificilmente saem da loja sem passar pelo caixa e comprar alguma coisa.

Ainda que a pesquisa tenha uma amostra pequena, há dados curiosos sobre o retrato dos ladrões. As mulheres somam 47%, os homens, 53%. Um total de 54% têm de 18 a 29 anos, 43% de 30 a 39 anos e apenas 3% já passaram dos 40. Quase dois terços são casados, 30% são solteiros e 7% divorciados. Pouco mais da metade têm emprego: 53% trabalham ou possuem algum tipo de renda. Mas o que mais surpreende é a escolaridade: 40% têm faculdade incompleta, 3% são graduados, 20% têm o segundo grau e 37% terminaram o primário. No total gasto pelo varejo com soluções para o furto, 60% destinam-se ao roubo externo, 27% ao roubo interno ( de funcionários ou antes de chegar às lojas), 9% a falhas no processo e 4% são usados para combater fraudes entre empresas.
Administração & Política
» Eleição AEC/CDL
» Cuidado com os ladrões
» Sincatos vencem com luta
» Seu lucro corre perigo
» Exemplo
» Planeje para crescer
Colaboradores
» O profundo amor de Deus por mim
Comportamento
» As escolhas de uma vida
» Dez pedidos de um cão
» A conta corrente da saúde
» A pipoca e você
» O estilo de vida define a sua saúde
Comunicação & Internet
» Nunca abra estes e-mails
» Aprenda a colocar vídeos no You Tube
» Oráculo dos internautas
» Receita Federal ajuda os contadores
Empreendedorismo
» Quem trablha na sua empresa
» Acredite se quiser
» Conselheiras
» Cuidado com as dívidas
Finanças
» Classe média se endivida no cartão
» Governo quer atrasar devolução
» Até que as dívidas os separem
Humor & Curiosidades
» Ditados
» Mensagens nas lápides
» Politicamente correto
» Diálogos premiados
Jurisprudência & Segurança
» Viagem segura
» Um juiz não foge à luta
» Casamento só com separação de bens depois dos 70 anos
» Sufoco
Mercado de Trabalho & Educação
» Só 6 meses de experiência
» Você está despedido
» Recolocação vs. Negócio próprio
Rapidinhas do Leôncio
» Notas de abril
AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide