AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Conselhos Úteis



Publicado em: 09/12/2016

Uma análise de uma recente pesquisa mostra que pessoas que comem pelo menos 20 gramas de nozes por dia têm menos probabilidade de desenvolver condições mortais, como câncer e problemas de coração.

O estudo publicado no periódico BMC Medicine destaca os impressionantes benefícios para a saúde do consumo regular de nozes como noz-pecã, avelã e mesmo amendoim (que tecnicamente é um legume). Comer apenas 20 gramas de noz diariamente esteve ligado a 30% na redução de risco de doença coronária. O consumo de noz também estava associado à redução de risco de morrer de doenças respiratórias e diabetes, embora essas correlações ainda estavam fracas e envolvem apenas amostras pequenas.

De qualquer jeito, estes números são impressionantes. Pesquisas anteriores mostravam que o consumo de nozes reduzia o risco de problemas de coração e “todas as causas de mortalidade” — isso mesmo, literalmente qualquer causa de morte. Porém, associações potenciais com tipos de morte menos comuns ainda não tinham sido inteiramente estudadas.

Para corrigir este descuido, uma pesquisa da equipe do Imperial College London e da Norwegian University of Science and Technology agrupou 29 estudos publicados de várias partes do mundo para conduzir a mais exaustiva análise entre pesquisas sobre consumo de noz e seus benefícios para a saúde.

Coletivamente, estes estudos envolveram mais de 819 mil participantes, e incluem mais de 12 mil casos de doença coronária, 18 mil casos de doença cardiovascular e câncer, e mais de 85 mil mortes. As diferenças entre as populações foram estudadas (por exemplo, diferenças entre homens e mulheres, ou pessoas com diferentes fatores de risco), mas mesmo contando todos esses fatores, os pesquisadores acharam evidências consistentes que o consumo de nozes pode estar ligado a uma redução de doenças.

“Encontramos uma consistente redução no risco entre diferenças doenças, o que é uma indicação forte de que há relação oculta entre consumo de nozes e diferentes resultados em matéria de saúde”, disse Dagfinn Aune, uma das coautoras do estudo do Imperial College London, em um comunicado. “É um efeito substancial para esta baixa quantidade de comida [ingerida].”

É importante notar que a correlação não é a causa; este estudo não aborda mecanismos fisiológicos que podem contar com dramática redução no risco de ter certas doenças. É possível, por exemplo, que o consumo de nozes esteja conectado com outros tipos de hábitos saudáveis (por exemplo: pessoas que comem nozes podem ser mais preocupadas com a saúde e comem muitos vegetais e frutas).

Dito isso, o valor nutricional das nozes é dificilmente um segredo. Elas têm grandes quantidades de fibras, magnésio e gorduras poliinsaturadas — nutrientes importantes pare reduzir o risco de doenças cardiovasculares e reduzir os níveis de colesterol.

“Algumas nozes, particularmente as avelãs e as nozes-pecã são altamente antioxidantes, que podem ajudar a combater o estresse oxidativo e possivelmente reduzir o risco de câncer”, afirmou Aune. “Ainda que elas sejam muito gordurosas, elas também têm muita fibra e proteína, e há mais algumas evidências que sugerem que as nozes podem ajudar a reduzir o risco de obesidade com o tempo.”

Infelizmente, os pesquisadores não conseguiram concluir que a manteiga de amendoim oferece os mesmos benefícios para a saúde. O estudo diz que “é possível que ao acrescentar açúcar ou sal na manteiga de amendoim pode, na verdade, tirar qualquer efeito benéfico do amendoim.” O que traz um outro ponto interessante: sal em excesso nas nozes pode negar alguns de seus benefícios à saúde. Além disso, os pesquisadores descobriram que comer mais de 20 gramas de nozes por dia não melhora a saúde, então não vai adiantar comer nozes loucamente a partir de agora.




Notícias da mídia Exercícios para fazer na cama ao acordar Quando o despertador toca de manhã sempre bate a preguiça de levantar da cama. Mais 10 minutos de soneca e você já está atrasada, não é? Ao longo do dia, o pescoço começa a doer, suas costas também e você já está na terceira xícara de café. Um jeito muito fácil de evitar todos esses problemas é manter uma pequena rotina de exercícios logo que você acorda. Respiração e alongamento ajudam a despertar e dar mais energia, sabia? "Estudos mostram que ao despertarmos pela manhã nossos músculos ficam 10% mais curtos e rígidos devido ao repouso prolongado da noite. O alongamento matinal é de grande importância, além de relaxar a musculatura e o corpo, previne dores que ao longo do dia podem ser sentidas", explica a fisioterapeuta e instrutora de pilates do Fit Body Pilates SPa&Estética, Mariana Novaes. São 6 exercícios bem simples que levam só 5 minutos: stretching 1. Deitada na cama retire seu travesseiro e alinhe bem sua coluna. Estique os braços e as pernas, de modo que seu corpo fique todo esticado. Entrelace suas mãos e estique-as para cima, fazendo uma tração na coluna. Repita esse movimento duas vezes por 20 segundos. 2. Deitada, dobre seus joelhos e leve em direção ao tronco, como se fosse abraçar as pernas. Mantenha por 20 segundos nessa posição e depois repita por mais uma vez. 3. Deitada, apoie seus pés na cama, flexione um pouco seu quadril e leve-o para o lado, deixando sua cabeça para o lado oposto do quadril. (Se levou o quadril para o lado direto, leve a cabeça para o lado esquerdo) Abra bem seus braços e relaxe. Faça dos dois lados, mantendo por 20 segundos na posição de alongamento e repetindo duas vezes. 4. Deitada, apoie os pés na cama unindo-os calcanhar com calcanhar e abra as pernas, fazendo a famosa posição da borboleta. Mantenha na postura de alongamento durante 20 segundos repetindo 2 vezes o movimento. 5. Sentada com o corpo ereto, pegue o braço direito e leve em direção a cabeça, puxando-a para o lado direito. Você irá sentir alongar a região do músculo trapézio e a região cervical do lado contralateral. Repita esse movimento por duas vezes mantendo por 20 segundos e repita no outro lado. 6. Todos os alongamentos devem ser associados a uma respiração lenta e profunda, inspirando o ar pelo nariz e expirando pela boca auxiliando o maior relaxamento muscular. A professora e proprietária da Personal Work, Adriane Lafemina explica como fazer o exercício: Deite com as pernas flexionadas, plantas dos pés na cama, mãos abaixo do umbigo e com a ponta dos dedos médios se tocando (se quiser junte os joelhos). Feche os olhos, inspire pelo nariz, sentindo o abdômen inchar: imagine um balão no abdômen, que se enche de ar na inspiração. Expire pelo nariz até o abdômen murchar completamente. Sinta que ao expirar o abdômen se contrai para dentro. Não force sua respiração, nem muito rápida, nem muito profunda, apenas observe seu ritmo. Experimente deixar sua expiração um pouco mais lenta que a inspiração! Faça o exercício de três a cinco minutos.

AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide