AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Auto-Ajuda



Publicado em: 24/10/2015

Provavelmente você tem ou já teve algum colega de trabalho que é uma verdadeira pilha de nervos.

Não é necessário que você tenha cometido algum erro para que essa pessoa aponte o dedo, grite ou seja grosseira.

Sua vontade é responder com “algumas verdades”, mas você sabe que isso pode trazer problemas ainda maiores. Como lidar com uma situação como essa?

Segundo o escritor Erik Barker, colunista da Wired Magazine e autor do blog Barking Up The Wrong Tree, existe um método simples para nunca ficar bravo.

Para conseguir essa proeza, basta seguir alguns passos fundamentados pela neurociência. Veja quais são eles a seguir.

1. Não suprima sua raiva...

Ficar vermelho e repetir para si mesmo que “está tudo bem” pode até funcionar em um primeiro momento. Mas tentar calar um sentimento ruim só faz com que ele fique mais forte.

Como um efeito em bola de neve, você se sentirá cada vez mais estressado e a sua amígdala - região do cérebro responsável pelas emoções - ficará sobrecarregada.

O pior de tudo, segundo Barker, é que suprimir a raiva pode fazer com que a outra pessoa goste ainda menos de você. Isso porque o seu comportamento ressentido pode ser mal interpretado.

2. … nem a descarregue em outro lugar

Se você é uma daquelas pessoas que soca travesseiros ou quebra garrafas quando chega em casa, saiba que essa prática pode ter o efeito inverso do desejado. Expressar a raiva dessa forma caótica só irá intensificar suas emoções, afirma o autor.

Desabafar com algum amigo sobre o seu lado no conflito também pode ser uma péssima ideia. A menos que seja uma conversa construtiva e com troca de opiniões, você só irá reforçar a convicção de que está certo em ficar irritado.

3. Encontre uma distração

Embora armazenar e extravasar a raiva sejam reações inócuas, distrair-se com outras atividades pode ser uma boa alternativa.

Isso porque, segundo Barker, tanto nossas funções cognitivas quanto nossas respostas emocionais exigem as mesmas fontes de energia do cérebro. Assim, realizar alguma atividade diferente pode "roubar" o espaço dos sentimentos ruins.

4. Reinvente a história que aborreceu você

Pode parecer impossível se distrair quando tudo o que você quer é responder à agressividade do outro na mesma moeda.

Mas, se você reavaliar a maneira como enxerga aquela discussão, o seu cérebro também pode mudar as respostas emocionais.

Comece, por exemplo, pensando: “não é nada pessoal, ele deve estar em um dia ruim”. Ler a situação de uma maneira diferente e imaginar as causas que deixaram seu interlocutor agressivo pode transformar a sua raiva em compaixão.

Segundo o autor, isso faz com que a sua amígdala não interprete o sentimento causado pela situação como uma supressão, mas como uma emoção positiva.

5. Tente perdoar (mesmo que não tenham lhe pedido desculpas)

Mesmo que ninguém tenha pedido o seu perdão, essa atitude pode diminuir sua raiva e até melhorar sua saúde.

Uma série de pesquisas sugere que a capacidade de desculpar os outros está associada à redução do consumo de álcool e remédios e até à queda da pressão arterial. Afinal, como diz o ditado, guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra.




AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide