AECambuí | CDL
Associação Empresarial de Cambuí






QUEM SOMOS | SERVIÇOS | ASSOCIADOS | PROFISSIONAL AUTÔNOMO | EMERGÊNCIA CAMBUÍ | CONTATO
Ligue para AECambui » (35) 3431-3046
» Revista "O Empresário"
» Banco de Currículo
» Últimas Notícias
» A legislação e o empresário
» Auto-Ajuda
» Comportamento
» comunicação
» Conselhos Úteis
» Finanças ao seu alcance
» Jurisprudência
» Momento Empresarial
» Tipos de Consultas SCPC
» Vida saudável
» Turismo
» Fotos da Cidade
» Fotos dos Cursos
» Memória Viva





VOLTAR
Auto-Ajuda



Publicado em: 22/05/2012

Quando alguém pensa em construir uma vida de sucesso, logo projeta 20 ou 30 anos adiante e imagina o que estará fazendo de bom. Como seus filhos e netos estarão conduzindo suas vidas e qual a influência positiva que teve sobre eles? Se você ainda não fez isto, tente!

Provavelmente descobrirá que o desenho do futuro de seus descendentes sempre terá como base os valores pessoais que você tem hoje. Valores são a base das atitudes em relação às pessoas e ao mundo.

São desenvolvidos no dia-a-dia desde nas ações mais simples, como pedir licença ou desculpa como sinal de respeito ao outro até situações mais complexas, onde é preciso avaliar se uma determinada atitude pode causar prejuízos a alguém.

Conhecer os próprios valores e decidir com base neles é fundamental para quem deseja empreender. O conjunto de valores será fundamental para a definição do estilo de vida. Um empreendedor deve ter consciência dos valores que o motivam a abrir um negócio. Isso será essencial para o futuro de sua empresa.

Valores se aprendem na escola da vida e os melhores professores estão na família. Edivan Costa, 39 anos, dono da Sedi - empresa que trabalha na obtenção de documentos essenciais para a regularização de outras empresas, presente em 11 estados do Brasil - pensa assim.

Atribui à sua família a base sólida que teve para chegar a ser um empreendedor de sucesso. Sua mãe era empregada doméstica e seu pai metalúrgico. A família morava em uma favela de Belo Horizonte.

Ao entrar na escola queria ter as mesmas coisas que as crianças mais ricas. Existiam duas formas de conseguir: roubar ou trabalhar. Escolheu trabalhar e começou seu primeiro "negócio": catar papel na rua com um amigo para ajudar nas despesas da escola.

O princípio da honestidade prevaleceu. Os valores humanos são abstratos e só é possível identificá-los nas decisões que as pessoas tomam, principalmente, em situações difíceis. São princípios do quais não se abre mão.

Edivan era bom de bola e na adolescência chegou a se transferir para São Paulo e tentar carreira como jogador no Palmeiras. Naquela época, seu pai adoeceu e ele decidiu voltar a Belo Horizonte. Para ajudar a mãe e os irmãos foi trabalhar como office-boy.

A decisão, tomada em função dos valores familiares, foi crucial para que Edivan descobrisse sua carreira empreendedora. Trabalhando num escritório de advocacia, ele foi convidado para ser sócio de um advogado que atuava com licenças imobiliárias.

A partir daí, virou especialista em burocracia e seu negócio hoje é ajudar empresas a obter as licenças de funcionamento nos âmbitos federal, estadual e municipal. O faturamento de sua empresa é estimado em R$ 10 milhões por ano.

O crescimento de Edivan como empreendedor foi rápido, porém consistente. De onde saiu para onde está ele precisou aprender muito, mas sempre manteve sua crença nos valores que sua família ensinou.

Ele acredita que seus colaboradores poderão compartilhar dos mesmos valores se ele for um exemplo. Pois é assim que se ensina valores: praticando na própria vida. E você? Como empreendedor, pense também que empresa você quer deixar daqui a 30 anos para seus descendentes.
-

Mara Sampaio é psicóloga e especialista em cultura empreendedora




AECambuí | CDL - Associação Empresarial de Cambuí
Agência WebSide